Grupo prioritário deve ficar atento. Imunização será oferecida até o dia 31 de maio

Começa nesta quarta-feira (10) a Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe. Em 2019, a vacina irá imunizar contra 3 vírus: H1N1, H3N2 e Influenza tipo B. A campanha vai até 31 de maio em todo o país. Em Betim a vacina estará disponível nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) que possuem sala de imunização.

No primeiro momento da campanha, de 10 a 19 de abril, a vacinação será apenas para crianças de seis meses a menores de seis anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias) e gestantes. A partir da segunda-feira, 22 de abril, a vacinação estará disponível para todos os grupos prioritários.

Os grupos prioritários da campanha são: gestantes, puérperas (mulheres com até 45 dias pós-parto), crianças de seis meses a menores de seis anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias), trabalhadores de saúde, povos indígenas, idosos, professores de escolas públicas e privadas, pessoas com comorbidades e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, além de funcionários do sistema prisional e pessoas privadas de liberdade. A escolha dos grupos prioritários segue a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) e é respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente os vírus da gripe.

Em Betim, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, cerca de 103 mil pessoas devem ser imunizadas durante a campanha, pertencentes aos grupos prioritários. A meta da campanha é imunizar 90% do público alvo. E no sábado, 4 de maio, será realizado o Dia D, quando a vacina estará disponível em todas as UBS do município, para todas as pessoas dos grupos prioritários.

Ao irem se vacinar, as pessoas devem levar a Carteira de Vacinação Infantil ou do Adulto, junto com um documento de identidade. Durante toda a campanha será feita, também, a atualização do cartão de vacina, conforme a situação encontrada e as indicações do Calendário Nacional de Vacinação.

Síndrome Respiratória Aguda Grave

Ressalta-se que a vacina não visa evitar a propagação do vírus, mas sim o agravamento de casos e óbitos em pessoas dos grupos prioritários. De acordo com a Vigilância Epidemiológica, os casos de gripe registrados são os que se agravam e são notificados como Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

Por isso, a população deve ficar atenta aos outros métodos de prevenção, como lavar as mãos com frequência e evitar sair de casa se estiver doente, principalmente para locais com aglomeração de pessoas.

Em 2019, ainda não há casos notificados de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here