Carnes sofrem redução no valor médio neste fim de ano

0
476
De acordo com o Mercado Mineiro, em referência às carnes bovinas foram encontradas variações de até 218% no valor de alguns cortes. Foto: Reprodução/ Internet.

Devido a alta variação nos preços, para o consumidor a melhor saída é efetuar a pesquisa nos estabelecimentos

Impactados por uma série de aumentos no preço dos alimentos que ocorreu nos últimos meses, os brasileiros estão mais do que nunca contando, literalmente, nos dedos o dinheiro a ser investido nos pratos comemorativos no fim de ano, já que alguns dos ingredientes da ceia de Natal e da primeira refeição do ano de 2021 tiveram uma estabilidade no valor, e em alguns casos até um redução, porém tão tímida que não deve refletir no bolso dos consumidores.

Isso é o que revela uma pesquisa efetuada em comércios de Belo Horizonte e região metropolitana pelo site Mercado Mineiro.

Segundo o site, os preços das carnes bovinas, suínas e frangos tiveram uma minúscula queda em comparação aos últimos 30 dias, contudo a redução é sobre o valor médio, ou seja, o impacto é quase imperceptível para o consumidor.

Em nota enviada pelo economista responsável pelo site, Feliciano Abreu, foi possível constatar algumas dessas reduções.

O quilo da maminha, que custava R$ 38,46 caiu para R$ 38,23, uma queda de -0,60%. Já o quilo da alcatra sofreu uma queda de 0,52%, o preço médio estava em R$ 42,00 e caiu para R$ 41,79.

O quilo do peito resfriado que era em média R$10,05 caiu para R$10,01, uma redução de 0.40%.

No caso da picanha o preço que era de R$ 55,08 passou para R$ 54,81, uma pequena redução de 0,48%. A carne suína também obteve quedas no preço médio de alguns cortes, o quilo da bisteca passou de R$ 21,19 para R$ 21,12, uma redução de 0,34%.

Preço médio

Quando envolve compras por produtos que estão sendo bastante procurados, sempre é bom reforçar que é aconselhável pesquisar os valores.

De acordo com o Mercado Mineiro, em referência às carnes bovinas foram encontradas variações de até 218% em relação ao valor do quilo da picanha, podendo custar de R$ 44,00 até R$ 139,95. O quilo da fraldinha, segundo a pesquisa, pode ser encontrado custando desde R$ 26,99 até R$ 69,92, uma variação de 159%.

Já no caso da alcatra, com uma variação de 76% no valor, ela pode custar de R$ 33,95 até R$ 59,90. No caso da maminha, a variação de valores é desde R$ 29,00 até 59,95, nesse caso 106%.

Para os fãs da carne suína, os dados da pesquisa apresentam variações de 199% no quilo da bisteca com costela que pode ser encontrada pelos consumidores no valor de R$ 14,99 até R$ 44,95. Já o pernil com osso, uma das carnes mais procuradas nesta época, segue com uma variação de 176% do valor do quilo, podendo custar entre R$ 11,90 até R$ 32,95.

Bastante utilizado no tropeiro mineiro, o toucinho para torresmo, de acordo com o site, está custando em média R$ 14,99 até R$ 35,80, o quilo, uma variação de 138%. A salsicha, com uma variação de 75%, segue entre R$ 7,99 até R$ 13,99.

Na carne de frango, a pesquisa apresenta variações de até 110% no quilo do coraçãozinho, de R$ 18,99 até R$ 39,95. O quilo da coxa e sobre coxa demonstra uma variação no valor médio de 174%, com o preço entre R$ 7,99 até R$ 21,95.

O frango resfriado, muitas vezes o substituto do tradicional peru, está custando de R$7,49 até R$10,99, com uma variação de 46%. Já o peito resfriado demonstra uma variação de 74%, com o valor entre R$ 7,99 e R$ 13,95, o quilo.

O site de pesquisa de preços Mercado Mineiro junto ao aplicativo comOferta fizeram esse levantamento entre os dias 10 a 11 de dezembro. No total, foram consultados 38 estabelecimentos. A pesquisa completa está disponível no site Mercado Mineiro.