Estudo de mercado aponta que o Brasil perde feio para o México em competitividade, o que aumenta demais o preço dos automóveis feitos aqui

Veículos produzidos no México são mais competitivos do que os feitos no Brasil. Essa é a conclusão de um estudo da consultoria PwC, feita sob encomenda da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

De acordo com o relatório, impostos, custos trabalhistas, problemas logísticos, preços de matéria-prima e escala de produção estão entre os principais fatores que justificam os motivos de os carros vendidos (e produzidos) aqui serem mais caros que os de fora.

A pesquisa aponta que produzir um carro no México custa 18% a menos que no Brasil. Porém, quando os impostos são aplicados a ambos os países, a diferença pode chegar a 44%.
Uma das diferenças cruciais entre os países é orientação da indústria. Enquanto a brasileira está voltada para o mercado local, os mexicanos estão focados na exportação, em especial para os Estados Unidos.

Isso justifica, por exemplo, o fato de as fábricas mexicanas produzirem automóveis de alto valor agregado, ao contrário das nossas. Por aqui, o líder de mercado – e também o automóvel mais produzido no país -, é o Chevrolet Onix, com 210.458 unidades vendidas por aqui em 2018. No mesmo ano, o campeão de produção no México foi o Nissan Sentra (265.890 carros). Porém, vale ressaltar: não necessariamente foi o mais vendido dentro do território mexicano – essa posição pertence ao Nissan Versa.

O Sentra é um dos carros mais vendidos nos EUA, o que justifica tanta produção. Na sequência da lista, em ordem, Jeep Compass, GM Silverado, VW Jetta e o Versa encabeçam as primeiras colocações das fábricas mexicanas, todas com mais de 200 mil unidades feitas por ano. Aqui, os cinco modelos campeões de produção são compactos (Onix, HB20, Ka, Gol e Prisma).

Segundo o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes, o Brasil precisa aprovar reformas previdenciárias e tributárias para reduzir o que chamamos de “Custo Brasil”. “Os resultados deste levantamento indicam a necessidade de atacarmos pontos que melhorem a nossa competitividade”, afirma.

Para exemplificar e facilitar os cálculos, os dados divulgados no estudo sugerem uma base de 100. Ou seja, se o custo de produção de um carro por aqui é 100, no México, será 82, 18% a menos em custo de produção.

No Brasil, dependendo do veículo, os impostos aplicados oscilam entre 37 e 44%, enquanto as taxas mexicanas são de 16%. Aplicando a mesma base 100, enquanto um carro produzido e vendido no Brasil custa 140, o mesmo veículo produzido no México e vendido aqui custa 128.

Ou seja, para os fabricantes ainda é mais vantajoso produzir lá e importar os veículos para cá, em vez de produzir e vender aqui.

Por Auto Esporte

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here