Entrevista com Professor Sidão, candidato à Prefeitura de São Joaquim de Bicas

0
812
Vereador ganhou destaque na mídia quando efetuou uma viagem até Brasília, ao Palácio do Congresso, para pedir recursos aos parlamentares para o município. Foto: Equipe Sidão.

Vereador do município responde questões sobre transporte público, avalia a atual gestão do e esclarece sobre como pretende governar e gerar empregos

Dando sequência às entrevistas com candidatos às prefeituras, na sétima edição a Folha Vale do Paraopeba conversa com o vereador Sidnei Eustáquio, o Professor Sidão, candidato à Prefeitura de São Joaquim de Bicas, pelo Republicanos.

Com 43 anos e pai de três filhas e um filho, Sidão é graduado em educação física, mas nos últimos anos vem se dedicando à política, e dá aulas apenas de forma voluntária na cidade.

Em 2012, foi candidato a vereador pela primeira vez, mas só alcançou o cargo do legislativo em 2016, pelo PPS. Também ganhou destaque na mídia quando efetuou uma viagem até Brasília, ao Palácio do Congresso, para pedir recursos aos parlamentares para o município.

Na disputa eleitoral deste ano, Sidão está acompanhado de Evandro Primavera, do MDB, como candidato a vice-prefeito. A parceria conta com o apoio do PSL, formando a coligação “Governando com o povo”.

Durante a entrevista, o candidato responde questões sobre transporte público, avalia a atual gestão do município e esclarece sobre como pretende governar e gerar empregos, caso seja eleito. Confira:

Folha Vale do Paraopeba: Como o senhor avalia seu mandato enquanto vereador?

Professor Sidão: Exalto que contribui com o transporte público no bairro Alvorada Industrial, no qual há mais de 20 anos havia uma dificuldade de locomoção. Apresentamos proposta para a Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas de Minas Gerais (Setop-MG), e conseguindo mais linhas de Bicas para Betim, Contagem e BH. No Casa grande, também há duas linhas devido a um projeto meu enquanto vereador. E destaco que está tramitando, há mais de um ano, um texto no Setop, em que solicito redução da tarifa dos ônibus intermunicipais. Também propôs para o Nossa senhora da Paz a Feira do Farofa, a primeira regulamentada do município. Infelizmente, por falta de apoio do executivo não alavancou. Apresentei a proposta de coleta do óleo de cozinha, aprovado pela Câmara, mas rejeitado pelo prefeito. E também de um mercado municipal, com o qual poderíamos fortalecer nosso hortifrutigranjeiro. Pois nossa cidade está no quinto lugar do cinturão verde da região metropolitana de BH, e é responsável por boa parte do abastecimento do Ceasa. Penso que devemos aproveitar essa produção também dentro do município. Mas o mercado também foi barrado. Reforço que, em 2016, recebi a medalha Tiradentes, sendo considerado o terceiro vereador mais atuante da cidade. Em 2017, auxiliei na aquisição de um veículo para a saúde do município. E, por meio de solicitações a deputados, atuei na aquisição de um carro para PM.

FVP: Em 2019, o senhor saiu de São Jm. de Bicas em direção a capital Brasília em busca de recursos para o município. Essa experiência trouxe algum resultado positivo?

Professor Sidão: Olha, valeu a pena. Sou o primeiro vereador do país a ir para Brasília buscar recursos naquelas condições. Geralmente, o parlamentar viaja gastando dinheiro público. Pelo contrário, não gastei nada. Muitos acham que tive carro de apoio, mas não. Foi eu, Deus e um monte anjos de guarda. Fui com intenção de mostrar que podemos fazer muito, sem precisar envolver dinheiro público ou caixa dois. E teve uma repercussão muito boa, com ampla cobertura, inclusive de vocês. Como resultado, houve a contribuição de recurso do Senador Anastasia, por meio de uma emenda, de R$ 152 mil para o município. Caso eu consiga chegar ao executivo, pretendo ser o primeiro prefeito a ir buscar recursos em Brasília pedalando também.

FVP: Caso seja eleito prefeito, como imagina administrar uma cidade num cenário “pós-pandemia”, sobretudo com o desemprego?

Professor Sidão: Queremos investir no empreendedorismo jovem, naqueles que têm facilidade com tecnologia, e desenvolver startups. Também pensamos em oferecer às senhoras que fazem crochê ou costura mão de obra com demanda local, fazendo com que o município gere renda para os moradores na cidade, fortalecendo a economia da região. Pretendemos, de repente, reunir cidadãos interessados num workshop com prestadores de serviço e empresas para incentivar o primeiro emprego para o jovem e pessoas que saíram do mercado de trabalho, mas que tem potencial para voltar.

FVP: Qual o maior problema que o município passa atualmente? Como acredita que pode resolvê-lo?

Professor Sidão: São dois, a falta de emprego e de um sistema de transporte que atenda às necessidades dos moradores. Temos uma passagem com valor alto, isso prejudica muito. Por exemplo, quando o morador de Bicas participa de uma entrevista de emprego em Betim, Contagem ou BH os contratantes já perdem o interesse quando descobrem o valor da passagem. E já que não há condições favoráveis para os moradores saírem para outras cidades, então deve haver oportunidades no município. Entendo que passou da hora da cidade ter o próprio terminal rodoviário. Quando conseguirmos realizar esse desejo, com integração entre bairros, Centro, e cidades vizinhas, será de grande relevância para todos. Inclusive, apresentei uma proposta no passado de táxi lotação e regulamentação de perueiros. Pois se legalizasse essa classe, mais moradores na cidade seriam beneficiados.

FVP: Qual o balanço que o senhor faz da atual gestão até aqui?

Professor Sidão: Falha, relacionada à velha política. Hoje, percebo que a prefeitura tem dinheiro no caixa, sabe. Então poderia ter aplicado mais nos anos anteriores e atendido mais projetos dos vereadores, muitos desses rejeitados pelo executivo. Como disse há pouco, o do próprio mercado municipal.

FVP: Sobre um sistema de rede de esgoto e tratamento de água. Há algum projeto que o senhor pensa para o município?

Professor Sidão: Há uns oito meses, peço à liderança da Câmara uma reunião com a Copasa para estudarmos um plano de saneamento básico, esse que deveria ter sido concluído em 2003, mas jogaram para 2009, 2012 e depois para final deste ano. Vejo que vamos fechar 2020 sem a conclusão. Recentemente tentei fazer um levantamento de quantas fossas têm no município, porém não consegui devido a quantidade elevada. E também há relatos sobre a demora no atendimento dos caminhões responsáveis pela manutenção dessas estruturas. Nesse contexto, muitas famílias fazem descartes erroneamente. Já ouvi dizer que até a Copasa descarta rejeitos em rios da região também. E, na verdade, a cidade já conta com cerca de 30 mil km de rede extensora e coletora finalizada, entretanto, só não está ligada em função da Estação de Tratamento de esgoto que ainda não foi concluída. Então nossa ideia é fazer um trato com a empresa e estipular que cumpra certos prazos.

FVP: Como é fazer campanha na “pandemia”? E o que o parlamentar espera das eleições?

Professor Sidão: É diferente quando se tem o contato corpo a corpo. Pegar na mão ou conversar. Mas temos que respeitar as medidas contra à Covid-19. E o que temos feito para aproximarmos da comunidade é utilizar redes sociais, pois esta é uma eleição atípica e precisamos de sabedoria. Imagino que qualquer um que chegar lá (na prefeitura) deveria aproveitar ideias dos grupos que estão na disputa, desde que seja algo positivo para cidade. Não sou a favor de rixa política, pelo contrário, tenho diálogo e respeito com os adversários.

FVP: Há alguma mensagem final que gostaria de deixar?

Professor Sidão: Enfatizo que tenho uma vida política grande no município. E estou num grupo composto pelos ex-prefeitos João Bosco, Luciano e Zeca, que hoje é candidato a vereador. Além de Tadeu Campos e Dirceu, ex-candidato a prefeito e vereador, respectivamente, todos apoiando nossa chapa. Reunimos as lideranças políticas da cidade para fazer a diferença. E caso a gente ganhe a eleição, não pretendemos governar sozinhos. Vamos apresentar os projetos aos cidadãos para eles também decidirem. Por fim, peço aos moradores que avaliem nosso plano de governo, que foi construído ouvindo a comunidade e pensado na comunidade. Peço também a juventude que vai votar pela primeira vez, vote com responsabilidade e não esqueça de acompanhar o mandato do candidato eleito