Entrevista com Dr. Vinícius, pré-candidato à Prefeitura de Betim

0
1040
Morador de Betim desde que nasceu, Vinícius trabalha como médico na cidade, já foi vereador (2013 e 2016), e se candidatou a deputado estadual em 2014. Foto: FVP.

Atualmente no cargo de vice-prefeito, o médico falou sobre o que o levou a concorrer às eleições deste ano, avaliou o setor da saúde e comentou sobre as chuvas fortes que provocaram estragos na cidade em janeiro

Dando sequência às entrevistas com os pré-candidatos das cidades que a Folha Vale do Paraopeba circula, conversamos com o pré-candidato à Prefeitura de Betim, Dr Vinícius, que, atualmente, é o vice-prefeito do município.

Morador de Betim desde que nasceu, Vinícius Braga Saraiva de Resende, de 35 anos, trabalha como médico generalista na cidade. O pré-candidato já foi vereador de Betim entre 2013 e 2016, e se candidatou a deputado estadual em 2014.

Casado e pai de uma menina de 5 anos, Vinicius está em pré-campanha pelo partido Rede Sustentabilidade. Ainda sem um vice para compor sua chapa, ele estuda alianças partidárias futuras.

Durante a entrevista, o médico esclarece o que o levou a concorrer ao cargo no executivo, avaliou o setor da saúde e comentou sobre o que espera das eleições deste ano. Confira:

Folha Vale do Paraopeba: O que levou você a disputar a Prefeitura de Betim?

Dr. Vinícius: Desde que fui vereador, havia a pretensão de me candidatar. Em 2016, eu estava com essa intenção, porém diante do convite do Vittorio, aceitei ser vice na chapa dele. E agora, diante da oportunidade, decidi me colocar à disposição.

FVP: Durante esses três anos e meio no cargo de vice-prefeito, qual foi a sua participação em projetos na cidade?

Dr. Vinícius: Betim tem um histórico de rupturas de “vices” com os prefeitos. Nesse sentido, minha postura foi de respeitar a hierarquia. Com essa filosofia, contribui, principalmente, na área de saúde. Por exemplo, na questão do fechamento das UAIs e da falta de pediatras nessas instalações, tentei intervir conversando com o secretário de saúde e com o prefeito para encontramos uma melhor de resolução. Eu cumpri meu papel de vice-prefeito. Jamais poderão falar que provoquei tumulto na administração, pois procuro sempre o diálogo.

FVP: Caso o senhor confirme sua candidatura à prefeitura, e posteriormente seja eleito, como pretende lidar com uma cidade pós-pandemia?

Dr. Vinícius: Hoje, a legislação me permite dizer que sou pré-candidato, mas afirmo que estou nessa pra valer. Quero contribuir mais com Betim. Temos excelentes propostas que, durante a campanha, iremos apresentar à população. Pois o povo deve ter participação no poder, opinando em projetos que afetam a vida de todos. Esta pandemia chegou de forma avassaladora. No início do ano, as notícias de óbitos eram em outros países. Na medida que foi se aproximando do Brasil, o susto foi aumentando. Além de toda tristeza pelas perdas de vidas, muitos comércios acabaram fechando as portas, o que contribui com o desemprego. E a pandemia também destacou a carência da saúde pública. Então, no pós-pandemia, devemos fazer um resgate da economia local, principalmente em bairros com estabelecimentos menores, para os empresários resgatarem o poder de contratação e de compra.

FVP: Qual é o maior problema que os moradores de Betim convivem atualmente? E como solucioná-lo?

Dr. Vinícius: O desemprego e saúde. No caso da saúde, muitos pacientes aguardam anos por uma consulta ou cirurgia. Tenho pacientes que estão esperando há três anos uma retirada de vesícula. Se uma criança precisar fazer uma cirurgia de desvio de septo, não temos como oferecer esse serviço. Elucido que resolveremos esses problemas escalando um time de secretários especialistas em cada área. E os servidores terão prioridade na ocupação desses cargos, pois conhecem bem os problemas e as soluções.

FVP: Qual avaliação você faz sobre a saúde em Betim? E no combate à Covid-19?

Dr. Vinícius: Nós trabalhamos para ampliar a quantidade de leitos, dando suporte aos moradores de Betim e região, com o hospital de campanha, no Clube da Fiat, e o Cecovid-4, no Centro Materno Infantil, com apoio do governo estadual e de empresas privadas. Agora a saúde num todo, necessita de melhorias, por exemplo, na saúde básica. Os postos de saúde e o acesso da população à saúde precisam de modificações positivas. Temos postos sem médicos e sem farmácia. Isso dificulta as coisas, se você procura atendimento em uma unidade e o médico vê que o paciente tem uma pedra na vesícula, com necessidade de operar, esse paciente aguarda cerca de três anos na fila, e isso ocorre por falta de planejamento. Há 10 anos, trabalho na atenção básica, e sempre destaco que se houver investimento nessa área, muitos problemas serão solucionados sem necessidade dos moradores procurarem outro atendimento.

FVP: Dentro da sua proposta de trabalho, qual é a principal bandeira?

Dr. Vinícius: É difícil levantar uma bandeira no pós- -pandemia, sendo que a questão social está devastada por conta dos empregos perdidos, junto ao aumento da procura por vagas em escolas públicas pelos alunos que sairão das instituições privadas. E com empresas mandando funcionários embora, muitos planos de saúde são cortados, o que aumenta demanda na saúde pública. Por isso temos que atrair novas empresas e, consequentemente, mais empregos e arrecadação, principalmente para a saúde e servidores públicos, que estão há anos sem reajuste salarial. Nós levantamos as bandeiras da saúde e da educação, mas precisamos, principalmente, de vagas de empregos para oferecer oportunidades à população.

FVP: No começo do ano, muitas famílias sofreram com as chuvas fortes. Qual foi o motivo para que isso tenha ocorrido? Há algum projeto para solução desse problema?

Dr. Vinícius: No município, há muitas ocupações em terrenos não adequados para moradias, o que não é culpa dos moradores. Estão ali porque necessitam de uma casa. Nesse contexto, há uma falta de políticas públicas sociais, de um mapeamento das famílias em áreas de risco para que sejam realocadas em um local seguro. Além disso, pretendemos ter uma cidade mais sustentável com o planejamento urbano. Lembrando que essas chuvas provocaram mortes e desabamentos. Por isso, haverá um planejamento sustentável, com políticas de habitação, meio ambiente, saneamento básico e mobilidade.

FVP: Como você acha que será as eleições este ano?

Dr. Vinícius: Uma eleição que nunca imaginamos. Sem grandes reuniões, comícios e caminhadas. Contudo, é uma eleição de redes sociais bem intensa. Sendo assim, realizamos uma pré-campanha com reuniões virtuais e pequenas visitas praticando todo cuidado, por conta do coronavírus, utilizando máscaras, álcool e exercendo o distanciamento social. Aos poucos chegamos nos quatro cantos da cidade. Sempre escutando a população e sem nenhum tipo de ataque.

FVP: Para concluir, o que você gostaria de acrescentar?

Dr. Vinícius: Há tempo, realizo atendimento voluntário em unidades básicas de Betim. E por ser médico, conheço a realidade de perto e os locais que precisam de assistência. Enfatizo que o prefeito deve exercer um governo que envolva a população nas decisões, já que muitas regiões têm realidades distintas. Por exemplo, os bairros Angola e Imbiruçu têm diferentes necessidades. Como o prefeito vai estar ciente disso? Com a participação do povo, para que assim ações efetivas sejam realizadas no local.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here