Imigrantes fazem cadastro profissional em Betim

0
797
Foto: Adeildo Silva.

Dia D reuniu 97 estrangeiros. Documentos também foram emitidos

Estrangeiros que moram em Betim participaram do Dia D, um mutirão na Superintendência do Trabalho, Emprego e Renda (Seter), para cadastro de emprego na cidade. Ao todo, 97 imigrantes, entre argentinos, venezuelanos, haitianos e de outras nacionalidades, estiveram no local entre os dias 12 e 13 de setembro.

O superintendente de Trabalho, Emprego e Renda (Seter), Antônio Carlos, explica que todos eles foram incluídos no Sistema Nacional de Emprego (Sine), depois fizeram um cadastro municipal, contendo, inclusive, perfil profissional.

Em seguida, as equipes faziam uma busca de vagas para a pessoa cadastrada. Na ausência de oportunidades, ela recebia orientações sobre cursos de capacitação que poderia fazer, oferecidos gratuitamente pela Seter. Também foram emitidas Carteiras de Trabalho para quem estava com a documentação regular. Os que não estavam, foram orientados sobre como regularizar.

O trabalho foi em conjunto com as secretarias municipais de Assistência Social (Semas) e de Saúde (SMS). Após a parte profissional, o estrangeiro era encaminhado para o atendimento de saúde onde era verificado se havia alguma vacina pendente ou outra demanda específica nessa área. Para finalizar, eles recebiam atendimento social para cadastro no programa Bolsa Família, ou outros benefícios, além de atendimento no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) para emissão de documentos, caso necessário.

De acordo com Antônio Carlos, a procura por trabalhadores imigrantes em Betim têm aumentado e, por isso, foi tomada a iniciativa de separar dois dias para atender somente esse público. “Fomos acionados por um grupo de venezuelanos e decidimos fazer não apenas para dar oportunidades de emprego, que é o nosso foco, mas também mostrar todo o sistema de saúde e assistência social do município”, afirmou.

Segundo ele, o cadastro para imigrantes irá continuar. Mais informações poder ser obtidas na Seter, situada à rua Tito Pedrosa, 55, bairro Angola. Mais informações pelo telefone: 3531-1268.

Perfil

Dos imigrantes atendidos no trabalho, 96% estava com a situação documental regularizada. Os que não estavam, foram orientados sobre como regularizar. A maioria (27,3%) tinha entre 25 e 29 anos, seguido por pessoas entre 30 e 35 anos (18,2%). No total, foram atendidas pessoas com idades entre 14 e 55 anos.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here