Mais uma vítima da tragédia em Brumadinho é identificada

0
563
Local onde o corpo foi encontrado. Foto: CBMMG/ Divulgação.

Corpo foi encontrado praticamente intacto, a oito metros de profundidade

Carlos Roberto Pereira. Este é o nome de mais uma das vítimas do rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho, em janeiro deste ano. Ele foi resgatado na noite de quarta-feira (3) e encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML), onde foi identificado pela Polícia Civil na quinta-feira (4).

O corpo de Pereira foi encontrado praticamente intacto, a oito metros de profundidade, na área do Remanso 1. Depois de quase 11 horas ininterruptas de trabalho, a equipe da Odontologia-Legal, conseguiu fazer a identificação através de estudo da arcada dentária, já que não havia mais impressões digitais viáveis para identificação.

O material para comparação de DNA foi coletado e enviado para o laboratório do Instituto de Criminalística, para análise prioritária. Simultaneamente, a equipe da Odontologia-Legal do IML trabalhava. O objetivo foi dar celeridade ao processo para amenizar o sofrimento da família.

De acordo com o superintendente de Polícia Técnico-Científica, o médico-legista Thales Bittencourt, a composição do solo pode conservar alguns corpos, dependendo de onde eles pararam após o desastre, ocorrendo um fenômeno chamado de saponificação. “A saponificação envolve o processo de proliferação de bactérias nas partes moles do corpo, formando material untuoso e quebradiço que parece um sabão. Daí o nome de saponificação”, disse.

De acordo com o porta-voz do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, Pedro Aihara, o fenômeno tem ocorrido em Brumadinho. “Onde não há presença de oxigênio, em profundidade alta, onde há concentração de minério que vai secar completamente, a decomposição fica prejudicada”, explica. “Ao contrário, com mais umidade, em lugar menos profundo, decompõe mais”, completa.

Pereira tinha 62 anos e era funcionário terceirizado da Vale. Com a identificação dele, sobe para 247 o número de mortos confirmados. Já o de pessoas desaparecidas cai para 23. As buscas continuam sendo feitas pelo Corpo de Bombeiros com o uso de cães farejadores, máquinas pesadas e todo um trabalho de inteligência e mapeamento dos locais onde as vítimas possam estar.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here