Polícia Federal cumpre outros oito mandados de busca.

O ex-presidente Michel Temer foi preso em São Paulo na manhã desta quinta-feira (21) pela força-tarefa da Lava Jato. De acordo com informações divulgadas pelo portal de notícias G1, os mandados foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, responsável pela Lava Jato no Rio de Janeiro.

Os agentes ainda tentam cumprir um mandado contra o ex-ministro de Minas e Energia, Moreira Franco. Segundo o G1, a Polícia Federal tentava localizar Temer desde quarta-feira (20), mas não obteve sucesso. Por isso, a operação prevista para as primeiras horas da manhã desta quinta atrasou. Ainda não está claro a qual processo se referem os mandados contra Temer e Moreira Franco.

O ex-presidente responde a dez inquéritos. Cinco deles tramitavam no Supremo Tribunal Federal (STF), abertos à época em que ele era chefe do Executivo nacional e foram encaminhados à primeira instância depois que ele deixou o cargo. Os demais foram autorizados pelo ministro Luís Roberto Barroso em 2019, quando Temer já não tinha mais foro privilegiado. Por isso, assim que deu a autorização, o ministro enviou os inquéritos para a primeira instância.

Entre outras investigações, Temer é um dos alvos da Lava Jato do Rio. O caso, que está com o juiz Marcelo Bretas, trata das denúncias do delator José Antunes Sobrinho, dono da Engevix. O empresário disse à Polícia Federal que pagou R$ 1 milhão em propina, a pedido do coronel João Baptista Lima Filho (amigo de Temer), do ex-ministro Moreira Franco e com o conhecimento do presidente Michel Temer. A Engevix fechou um contrato em um projeto da usina de Angra 3.

O portal G1 entrou em contato com a defesa do ex-presidente, mas as ligações não foram atendidas.

Temer foi eleito como vice-presidente por duas vezes consecutivas na chapa da ex-presidente Dilma Rousseff. No meio do segundo mandato, os dois romperam e, após o impeachment, em 2016, Temer assumiu a presidência.

Formado em direito, o político começou a carreira pública nos anos 1960, quando assumiu cargos no governo estadual de São Paulo. Ao final da ditadura, na década de 1980, foi deputado constituinte e, alguns anos depois, foi eleito deputado federal quatro vezes seguidas. Chegou a ser presidente do PMDB por 15 anos.

Quem Bretas mandou prender

  1. Michel Miguel Elias Temer Lulia, ex-presidente – preso
  2. João Batista Lima Filho (coronel Lima), amigo de Temer e dono da Argeplan – preso
  3. Wellington Moreira Franco, ex-ministro do governo Temer – preso
  4. Maria Rita Fratezi, arquiteta e mulher do coronel Lima – presa
  5. Carlos Alberto Costa, sócio do coronel Lima na Argeplan – preso
  6. Carlos Alberto Costa Filho, diretor da Argeplan e filho de Carlos Alberto Costa
  7. Vanderlei de Natale, sócio da Construbase
  8. Carlos Alberto Montenegro Gallo, administrador da empresa CG IMPEX
  9. Rodrigo Castro Alves Neves, responsável pela Alumi Publicidades
  10. Carlos Jorge Zimmermann, representante da empresa finlandesa-sueca AF Consult – preso

Atualizado às 15h.

Por G1.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here