Vítimas de animais peçonhentos já podem ser atendidas em Betim

0
395
Hospital Regional é uma das unidades preparadas para receber esses pacientes. Foto: Anselmo UBL.

Antes, pacientes eram encaminhados ao Hospital João XXIII, em Belo Horizonte

Desde a última segunda-feira (15), a Rede SUS Betim tem recebido vítimas de acidentes com animais peçonhentos, como aranhas, cobras, escorpiões e lagartas. De acordo com informações divulgadas pela prefeitura, nos últimos meses, as unidades que compõem a Rede de Urgência e Emergência do município foram preparadas para esta demanda. Além disso, foram definidas e capacitadas equipes multiprofissionais formadas por médicos, profissionais da enfermagem e de farmácia.

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Guilherme Carvalho, os pacientes da cidade que precisarem desse atendimento, poderão consegui-lo com mais agilidade. Antes precisavam se dirigir ao Hospital de Pronto Socorro João XXIII, em Belo Horizonte, referência no Estado em atendimentos do tipo. “Os pacientes acabavam correndo risco de morte, nos casos de acidentes com animais que possuem veneno mais potente ou naqueles em que a vítima é uma criança menor de sete anos, naturalmente mais frágil à ação dos venenos”, afirmou.

Logo após a ocorrência do acidente com o animal peçonhento, a vítima deve ser levada para a Unidade de Pronto atendimento (UPA) mais próxima (Alterosas, Guanabara, Norte e Teresópolis). Após o atendimento de urgência, se necessário, o paciente será encaminhado ao Hospital Público Regional de Betim (HPRB).

O que deve ser feito quando o acidente ocorrer?

· Levar a vítima imediatamente a uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) mais próxima.
· O mais rápido possível informar ao profissional de saúde as características do animal, tais como: tipo, cor, tamanho, dentre outras.
· Em casos de acidentes nas extremidades do corpo, como braços, mãos, pernas e pés, retirar acessórios que possam levar à piora do quadro clínico, como anéis, fitas amarradas e calçados apertados.
· Não amarrar (torniquete) o membro acometido; não cortar e/ou aplicar qualquer tipo de substância (pó de café, querosene, dentre outros) no local da picada.
· Não tentar “chupar o veneno”: essa ação aumenta as chances de infecção local.

Como prevenir acidentes com esses animais?

· usar calçados e luvas nas atividades rurais e de jardinagem;
· examinar calçados, roupas pessoais, de cama e banho, antes de usá-las;
· afastar camas das paredes e evitar pendurar roupas fora de armários;
· não acumular entulhos e materiais de construção;
· limpar regularmente móveis, cortinas, quadros, cantos de parede;
· vedar frestas e buracos em paredes, assoalhos, forros e rodapés;
· utilizar telas, vedantes ou sacos de areia em portas, janelas e ralos;
· manter limpos os locais próximos das casas, jardins, quintais, paióis e celeiros;
· evitar plantas tipo trepadeiras e bananeiras junto às casas e manter a grama sempre cortada;
· limpar terrenos baldios, pelo menos na faixa de um a dois metros junto ao muro ou cercas.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here