Chuva forte faz vítimas fatais e altera a rotina em Betim

0
1371
Barranco deslizou devido a forte chuva em Betim. Foto: Reprodução/ TV Globo.

Prefeitura decretou às autoridades administrativas e agentes de Defesa Civil autorização para determinar a pronta evacuação dos locais considerados de risco

O último fim de semana foi repleto de muita água e choro em Minas Gerais. Como havia alertado o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), um grande volume de chuva caiu sobre a região metropolitana de Belo Horizonte. Por mais de 24 horas, ininterruptamente, cerca de 80 a 100 milímetros de água desceu do céu. Segundo a Defesa Civil, durante o temporal, 47 pessoas perderam a vida, a maioria são vítimas de soterramentos provocados pelo deslizamento de terra constantemente molhada pela chuva.

Somente em Betim, quatro pessoas morreram no bairro Duque de Caxias e outras duas no bairro Jardim Teresópolis. Ao todo, durante o temporal a Defesa Civil municipal recebeu 787 chamadas. Nesse contexto, 342 pessoas estão desalojadas, todas em casa de amigos ou parentes. Em pontos de apoio fornecidos pela prefeitura para abrigar famílias betinenses, há 94 pessoas.

SITUAÇÃO DE RISCO

No dia 25 de janeiro, a Prefeitura de Betim decretou às autoridades administrativas e agentes de Defesa Civil autorização para determinar a pronta evacuação dos locais considerados de risco, conforme Decreto º 41.947, publicado no Órgão Oficial. Segundo o governo municipal, a iniciativa foi tomada considerando as mortes decorrentes das fortes chuvas nos últimos dias e a probabilidade de novas tragédias, em decorrência da recusa dos moradores em sair das áreas de risco.

O documento autoriza que a Defesa Civil identifique os imóveis com risco iminente, lavre e elabore o laudo de interdição, determinando a pronta evacuação do local. Em razão da forte demanda, os laudos de podem ser executados por outros engenheiros que prestem serviço a Betim.

Caso os moradores não concordem com a pronta evacuação ou retornem aos locais de risco, deve ser lavrado um Boletim de Ocorrência (BO) pela Polícia Militar ou Guarda Municipal da cidade, que será o documento público habilitado para todas as medidas necessárias para garantir a vida. Os BO, assim como os Laudos de Interdição, serão encaminhados à Procuradoria Geral do Município, para as medidas necessárias à garantia da vida.

LAGOAS

A Lagoa CDI, localizada no assentamento Dom Orione, possui de 4.000 m² de área e 3 metros de profundidade. Divulgação/ Prefeitura de Betim.

A Lagoa CDI, localizada no assentamento Dom Orione, está com vazão normalizada. Desde o dia 23 de janeiro, diversos profissionais se juntaram a fim de concluir o extravasamento de parte da água, por meio de uma cava aberta para diminuir o volume da lagoa. O trabalho preventivo, realizado pela prefeitura, evitou que cerca de 40 famílias, que moram ao redor da barragem, fossem atingidas.

Um laudo da Defesa Civil indicou alto risco de rompimento da lagoa, que aumentou de forma considerável o volume em razão das últimas chuvas. A barragem, que possui de 4.000 m² de área e 3 metros de profundidade, apresentou desmoronamentos no material de contenção. Isso causou um descolamento de 10 metros de largura por 5 m de altura na estrutura. O barranco, ante com 10 m de distância, passou a ter apenas um.

Já a lagoa Várzea das Flores está com capacidade máxima. Segundo a Prefeitura de Betim, a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (COPASA) tem tomado medidas preventivas para evitar o transbordamento de água e, consequentemente, alagamentos em áreas próximas à represa. Desde o último domingo (26), a empresa está realizando intervenções de vazão de fluxo da água de maneira gradativa. Porém, é indispensável destacar que há possibilidade de transbordamento da barragem caso o volume de chuvas na cidade continue em ritmo elevado.

TRÂNSITO BLOQUEADO

Em decorrência das fortes chuvas, as ruas Potyra e Guadamy, no bairro Icaivera, estarão como o trânsito bloqueado até o terça-feira, 28.

DOAÇÃO

A Defesa Civil reforça o pedido de alimentos não perecíveis, colchões, cobertores, roupas para adultos e crianças e produtos de higiene pessoal. O Posto de Recolhimento do órgão está localizado na rua Antônio Augusto de Rezende, 229, Centro. O telefone para entrar em contato com a Defesa Civil é: 3594-1201 ou 199.