Entrevista: Guto Resende, candidato à Prefeitura de São Joaquim de Bicas

0
2168
Prefeitura ressalta que o contrato entre com a empresa ainda não foi assinado. Tão logo isso ocorra, a população tomará conhecimento imediato. Foto: Divulgação.

Atual prefeito respondeu questões sobre desemprego, avaliou sua gestão, falou sobre o plano de governo para um possível próximo mandato e comentou sobre o auxílio emergencial da Vale

O candidato à prefeito de São Joaquim de Bicas, Antônio Augusto Resende Maia, mais conhecido como Guto Resende, é o último político da série de entrevistas com os concorrentes à uma vaga na cadeira executiva das cidades mineiras da região, nas eleições municipais deste ano.

Em campanha de reeleição pelo Dem-25, Guto Resende, de 37 anos, uniu forças com o partido Cidadania, oficializando Rodrigo Amorim como seu candidato a vice prefeito. Somado aos dois partidos, há ainda na chapa o apoio do PTC, PP e Podemos. Juntos as siglas formam a coligação “Bom de serviço”.

Natural de São Jm. de Bicas, Guto, que é formado em direito, já havia concorrido anteriormente a vice prefeito em 2012. Quatro anos depois, ele conseguiu chegar ao cargo máximo do executivo municipal. E após 3 anos e meio na prefeitura, decidiu concorrer novamente às eleições.

Ao longo da entrevista, o candidato respondeu questões sobre desemprego, avaliou sua gestão, falou sobre o plano de governo para um possível próximo mandato e comentou sobre o auxílio emergencial da Vale. Confira:

Folha Vale do Paraopeba: Qual o balanço que o senhor faz da sua gestão até aqui?

Guto Resende: Quando entramos na prefeitura encontramos uma administração cheia de dívidas e sem confiança junto aos fornecedores e funcionários. Nem coleta de lixo estava ocorrendo. Os dois primeiros anos foram difíceis, mas com muito trabalho conseguimos equacionar uma dívida de mais R$ 23 milhões e voltamos a investir em qualidade de vida. Ao longo da nossa gestão, priorizamos a saúde, educação e as obras de infraestrutura viária. Investimos mais de R$ 19 milhões em pavimentação em 12 bairros. Fizemos 2.220 novos pontos de ligação de esgoto e mais de 10.500 pessoas receberam água tratada nas torneiras. Além disso, criamos o Cartão Social, uma distribuição de renda para famílias de baixa renda, custeado com recursos municipais. Em relação à saúde, ampliamos e reformamos os postos do município, criamos uma USF do bairro Primavera, reformamos o posto no Nossa Senhora da Paz, inauguramos o primeiro Centro de Especialidades Odontológicas, compramos novos equipamentos para a UPA e contratamos neuropediatra, neurologista e nefrologista. Também estamos realizando a reforma da policlínica. Na educação, revitalizamos escolas da rede municipal, adquirimos novos mobiliários, ampliamos as turmas infantis, iniciamos o projeto “Escola em Tempo Integral”, garantimos uniformes aos alunos e estamos construindo uma nova escola infantil no bairro Pedra Branca. Um programa que quero destacar aqui também é o “Meu futuro”, que, em parceria com o Senai, tem preparado e qualificado os nossos jovens para o mercado de trabalho. Estamos tornando o sonho de viver em uma cidade melhor uma realidade.

FVP: Em 2019, o senhor revelou que pretendia construir 45 km de rede de água em toda a cidade e que alguns bairros seriam contemplados com rede esgoto, como estão essas intervenções?

Guto Resende: Até o momento, conseguimos realizar, em parceria com a Copasa, obras que levam água para 10.500 moradores. As intervenções foram realizadas no Itatiaia, Serra Dourada, Primavera, Açoita Cavalo, Campo Belo, Vale do Sol, Estância Serra Verde, Imperador e Copasinha. Já começamos também no Vale do Sol 1ª e 2ª Seção. Somado a isso, realizamos 2.260 pontos de ligação de esgoto nos bairros Tiradentes, Pedra branca 1ª seção, Pedra Branca 2ª seção, parte do Bela Vista, Vila Rica, Pousada das Rosas, Retiro do Moinho, Alvorada Industrial e Santo Antônio.

FVP: Em março, São Jm. de Bicas e mais quatro cidades entraram com uma ação civil pública pedindo ressarcimento à Vale pelos danos causados pelo rompimento da barragem em Brumadinho. Como anda essa ação?

Guto Resende: O crime cometido pela Vale afetou muito o nosso município, assim como os outros que entraram com o processo. Consideramos a ação o mínimo que a empresa pode fazer diante de todos os transtornos gerados. Também estamos pedindo para que toda população receba o auxílio emergencial, pois entendemos que o rio Paraopeba é de todos. FVP: Dentro desse contexto, sobre o possível fim do auxílio da Vale estar se aproximando, quais consequências você acha que isso pode trazer? Guto Resende: Teremos um significativo impacto na cidade, sofremos com uma migração grande de pessoas para o município por causa do auxílio, as demandas na área de saúde, nos atendimentos psicossociais e escolas aumentaram. Lembrando que todas essas pessoas continuarão dependentes dos serviços públicos após o fim do auxílio e será muito mais difícil para toda essa população, ainda mais durante a pandemia que gerou uma crise no mercado de trabalho.

FVP: Há alguma proposta para oferta de empregos aos moradores?

Guto Resende: Isso preocupa muito, e temos trabalhado desde o início para melhorar as oportunidades de emprego. Abrimos o diálogo com muitos investidores e, em resposta, a cidade está ganhando um novo distrito industrial com empresas em funcionamento. E como já havia mencionado, por meio do programa Meu Futuro, estamos qualificando nossos estudantes para ocuparem vagas que estão surgindo. Para o próximo mandato, se o povo assim referendar, iremos começar também com o projeto “Primeiro Emprego”, voltado para os nossos jovens.

FVP: Como o senhor avalia as medidas adotadas pela prefeitura para combater a disseminação da covid-19 no município?

Guto Resende: Começamos com as ações em diferentes frentes já no início de março, todas feitas com coordenação de um grupo técnico para o combate à Covid-19 o Coes. Inauguramos um hospital de campanha para casos da doença com 25 leitos, contratamos profissionais da saúde, realizamos a vacinação da gripe nos idosos em casa, compramos materiais de proteção para os profissionais na linha de frente de atendimento, entregamos gratuitamente, em domicílio, mais de 35 mil máscaras de proteção e fiscalizamos para que todas as medidas de prevenção e segurança fossem seguidas. E para alimentar nossas crianças e adolescentes, estamos distribuindo mensalmente “Kits Merenda e Verdura” para todos os estudantes, além de material didático.

FVP: Em caso de reeleição, quais seus projetos para administrar a cidade após um ano tão atípico?

Guto Resende: Queremos investir mais em infraestrutura, e levar água e esgoto para os bairros que ainda não tem. Iremos promover em obras de asfaltamento mais de R$ 40 milhões em mais 11 bairros. Criaremos o “Expressinho”, um sistema de transporte público eficiente para rodar dentro da cidade. Além disso, pretendemos construir escolas, fazer um centro de fisioterapia, implementar um centro especializado em atendimento psicossocial e criar o programa “Mãe de Bicas”, que dará suporte para gestantes. Destaco também a intenção de entregar um novo Cras no Nazaré e de ampliar o programa Cartão Social. Essas são ações voltadas para público, em sua maioria, em situação vulnerabilidade. As iniciativas foram pensadas de acordo com anseios do povo, mas com a seriedade e o compromisso de sempre, de não prometer coisas impossíveis e sim trabalhar para que as melhorias sejam gradativas e sem interrupções.

FVP: Como está sendo fazer campanha em período de pandemia?

Guto Resende: Um grande desafio, mas criamos alternativas para que a população tomasse conhecimento do trabalho que queremos continuar fazendo na cidade. Realizamos reuniões menores para evitar aglomerações. E orientamos sempre uso de máscara. Além disso, estamos investindo muito nas redes sociais, sendo que uma vez por semana realizamos uma transmissão ao vivo para conversar com a população. Apesar disso, temos fé em Deus que logo essa pandemia irá passar e voltaremos a ter contato com a nossa gente.

FVP: Há alguma coisa que você gostaria de pontuar e que não foi questionada?

Guto Resende: Quero pedir com toda humildade e respeito, que a população de São Jm. de Bicas me dê uma nova chance para continuar fazendo o melhor pela nossa cidade. Que no domingo, ao votar 25, os cidadãos saibam que estarão dando um voto de confiança e uma oportunidade da nossa cidade continuar no caminho certo. Vou honrar com muito trabalho, se o povo assim referendar, cada voto, de forma incansável durante todos os dias da nossa gestão.