Homem que esfaqueou e matou menina em Betim é transferido para unidade de saúde

0
1887
Moabe Edon, que esfaqueou e matou Ieda, de 5 anos, após prestar depoimento na Delegacia de Homicídios de Betim, no dia do crime. Foto: Sara Lira.

Ele tem esquizofrenia e estaria em surto novamente

O homem que esfaqueou e matou uma menina de 5 anos em Betim na última quarta-feira (30) foi transferido para o Centro de Apoio Médico e Pericial (Camp), em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana. A unidade abriga detentos que foram comprovadamente diagnosticados com alguma doença mental e recebe presos sob custódia para avaliação psiquiátrica.

De acordo com informações divulgadas pela Rádio Itatiaia, Moabe Edon Pinto Nogueira Souto, de 25 anos, chegou ao local na tarde de quinta-feira (31) e estaria em estado de surto, em franca atividade alucinatória delirante e relatando estar ouvindo vozes de comando. O homem ainda estaria com risadas descontroladas.

Souto tem esquizofrenia e cometeu o crime em um surto. Ele também era usuário de crack. De acordo com informações de familiares a Polícia Militar, no dia anterior ao crime o homem teria ido ao psiquiatra que dobrou a dose da medicação.

“Ele foi com a mãe ao psiquiatra porque o remédio não estava fazendo efeito. O médico passou a medicação de 10 para 20 gotas, mas ele não chegou a tomar a nova dose. Ao voltar para casa, ele teve um novo surto. Colocou um funk e ficava dando gargalhadas. Subia nos muros, dizia que o ‘patrão’ tinha mandado ele matar uma criança”, explicou o major Paulo Roberto.

Enterro

Ieda Isabella Manoel Peres, de 5 anos, foi enterrada na quinta-feira sob forte comoção no cemitério Parque das Cachoeiras, em Betim. Parentes, amigos e outras pessoas que foram ao velório estavam revoltadas com o crime. Eles pediam por justiça.

“Meu irmão está desolado. A gente está sem palavras para dizer o que está sentindo neste momento”, disse a tia da vítima, Marlene Peres.

Ieda Isabella Manoel Peres, de 5 anos. Foto: Arquivo pessoal.

A menina foi atacada quando ia para a escola na companhia da babá e do irmão mais velho de 8 anos. De acordo com informações da Polícia Militar, o autor do crime tem esquizofrenia e cometeu o ato em um surto. Ele dizia que “ouvia vozes e tinha ordens para matar uma criança”. A tragédia aconteceu na rua Perdões, no bairro Vila Cristina.

“Perguntei: por que você caiu? Ela só disse “ai, tia” e o irmão dela começou a gritar e chorar. Quando olhei para trás, vi um homem com aquelas facas brancas tipo de açougue. Comecei a rolar com ela no chão, mas ele continuava acertando-a. Consegui levantar e corri com ela no colo. Ele atravessava na minha frente pra acerta-la. Ele só queria ela”, contou a cuidadora da criança, Brenda Souza de Andrade, de 23 anos. Segundo a jovem, o homem não falava nada, apenas dava risadas enquanto esfaqueava a menina. Ela levou uma facada nas costas, três no tórax e morreu na hora.

“O autor do crime ainda retornou ao local 10 minutos depois dizendo que iria degolar a menina, mas foi linchado pela população. A Polícia Militar apartou a confusão, o prendeu e o levou para a UPA (Teresópolis)”, contou o delegado titular da Delegacia de Homicídios de Betim, Otávio de Carvalho.

Após prestar depoimento, Moabe foi indiciado por homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e por ter reduzido a capacidade de resistência da vítima. O rapaz é egresso do sistema prisional por crimes como roubo, tráfico de drogas e ameaça. Inicialmente ele foi para o Ceresp de Contagem, onde ficou até ser transferido para o Camp, em Ribeirão das Neves.

O município de Betim decretou luto oficial de três dias pela morte da criança. As aulas no Centro Infantil Municipal Silvina Júlia de Carvalho, onde Ieda estudava, estão suspensas até segunda-feira (4).