Morro do Ipê deve investir US$ 200 milhões na mina Tico-Tico, em São Joaquim de Bicas

0
1231
Foto da operação atual, em que a mineradora utiliza filtros prensa, que também serão instalados para futura operação de Tico-Tico. Foto: DHL Filmes e Fotografias

Com investimentos de quase R$ 1 bilhão, expansão vai gerar quatro vezes mais empregos na região e quintuplicar produção

A Mineração Morro do Ipê em breve irá expandir suas operações. Isso porque no último dia 10 de março, o Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam), votou, por unanimidade dos 11 conselheiros presentes, a favor da concessão da Licença de Instalação (LI) da planta da mina Tico-Tico, em São Joaquim de Bicas, o que irá permitir o início das obras de ampliação do empreendimento.

Nesse contexto, o projeto prevê aumento da produção para 6 milhões de toneladas por ano. Com todas as barragens desativadas desde o início de 2019, a mineradora utiliza o método a seco para processar os rejeitos produzidos na operação. O mesmo sistema será utilizado na mina Tico-Tico.

“Além do salto em nossas operações, a aprovação da Licença de Instalação da mina Tico-Tico representa um ganho significativo também para o Estado de Minas Gerais e municípios, que terão maior recolhimento tributário e geração de renda”, comentou o diretor de operações minerárias da Morro do Ipê, Gustavo Horbach.

Mais de mil postos de trabalhos diretos e indiretos serão gerados, com priorização de vagas destinadas aos moradores de Igarapé, Brumadinho e S. Joaquim de Bicas, que ocupam 85% dos quadros da mineradora. Serão investidos US$ 200 milhões (R$ 1 bilhão), para implantação da nova usina de beneficiamento e estruturas de apoio para a operação da mina. O início das obras está previsto para o segundo semestre, e deve durar 22 meses.

Toda a produção da Morro do Ipê irá ser escoada via Porto Sudeste, em Itaguaí (RJ), ativo portuário dos acionistas. O corredor logístico também contribuirá com o escoamento do minério de pequenas e médias mineradoras a partir dos terminais da região.