“Rei do cobre” é preso em Betim

0
736
Foto: PCMG

PCMG localiza 260 quilos de fios de cobre em ferro velho que os comercializava ilegalmente na região

Duzentos e sessenta quilos de fios de cobre foram apreendidos pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) durante operação realizada na última terça-feira (30/11), com o apoio da Guarda Municipal, em Betim, Região Metropolitana. O material foi localizado em um ferro velho da cidade, onde duas pessoas foram presas em flagrante por receptação.

Após um mês de investigação, por meio da troca de informações com a Guarda Municipal, a PCMG identificou um homem que se apresentava como o “rei do cobre”. O material apreendido, produto de furto e roubo, foi localizado no ferro velho desse suspeito. “Outra coisa que chamou a atenção foi a movimentação financeira dele. Ele movimenta cerca de R$400 mil por mês só com isso”, conta o delegado Roberto Veran, que coordena as investigações, ao ressaltar a importância da figura do receptador nesse tipo de crime.

De acordo com o comandante da Guarda Municipal em Betim, Anderson Reis, o furto a uma unidade de saúde da cidade teria dado origem as investigações, que levaram à prisão dos dois suspeitos por receptação. Sobre esse caso, Roberto Veran detalha: “o posto de saúde no bairro Dom Bosco teve todo o cabeamento furtado, cerca de 300 quilos de cabos. O prejuízo para a coletividade foi imenso, porque só de vacinas, Coronavac e Pfizes, foram mais de mil perdidas, além de outros insumos”.

O chefe do 2º Departamento de Polícia, César Monteiro, destaca que “Esse crime, além de causar prejuízos financeiros, ainda traz prejuízos à sociedade”, além de impactos em outros setores sociais e da economia. Para combater esse e outros tipos de crimes, o delegado regional Marcelo Cali reforça a união de esforços da segurança pública na cidade. “Em Betim, a integração das forças de segurança funciona com qualidade. A troca de informações com a Guarda Municipal e a Polícia Militar ocorre em tempo real. Esse trabalho conjunto fortalece as investigações e a prevenção dos crimes na cidade”.

As investigações continuam para identificar demais envolvidos no esquema criminoso, bem como para esclarecer sobre a destinação desse material. Segundo o delegado Roberto Veran, em um primeiro momento, a polícia levantou a venda para consumidores em Belo Horizonte, Santa Luiza e Itaúna, possivelmente siderúrgicas.

Fonte: PCMG