Coronavírus: confira os depoimentos dos primeiros vacinados em Betim

0
1028
Eliete Pereira foi a primeira pessoa a receber a dose da vacina contra Covid-19 em Betim, no dia 19. O prefeito Vittorio Medioli (PSD) e o secretário municipal de Saúde, Guilherme Carvalho, acompanharam o ato simbólico no estacionamento do Cecovid4, no Centro Materno Infantil. Foto: Prefeitura de Betim/ Divulgação.

Nesta primeira etapa, 100% dos profissionais de saúde na linha de frente serão imunizados

“Dever cumprido”. Estou bem mais tranquila agora”. Esta foi a fala da enfermeira Eliete Pereira dos Santos, 57 anos, logo depois de receber a primeira dose de duas da vacina contra a Covid-19 em Betim, na última terça-feira (19).

Eliete Pereira dos Santos, 57 anos, logo depois de receber a primeira dose de duas da vacina contra a Covid-19 em Betim, na última terça-feira (19). Foto: Reprodução/ Prefeitura de Betim.

A enfermeira, que perdeu o pai há menos de 30 dias vítima da Covid-19, trabalha no Sistema Único de Saúde (SUS) há 25 anos, e fez parte dos 10 trabalhadores da saúde que receberam a dose do imunizante em um ato simbólico com a presença do prefeito Vittorio Medioli (PSD) e do secretário municipal de Saúde, Guilherme Carvalho, no estacionamento do Cecovid4, no Centro Materno Infantil.

Eliete é atuante de um projeto “integrador” de vacinação em várias localidades da cidade. Há mais de duas décadas vacinando as pessoas contra outras doenças, ela esclarece que não se deve ter medo do imunizante, e que será preciso educação para com quem teme a injeção, muitas vezes motivadas por fake news. “Vamos tentar educar essas pessoas para que elas aceitem a vacina, às vezes é falta de conhecimento”, disse Eliete.

Logo depois, foi a vez da enfermeira na linha de frente assistencial dos Cecovid´s 2 e 4, Flávia Alvim, de receber a vacina. A terceira foi a enfermeira Ana Paula de Andrade, representante do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest-Betim), que trabalha há oito anos na área da saúde.

Enfermeira Ana Paula de Andrade, representante do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest-Betim), exibe o cartão de vacina após tomar a primeira dose da Corona Vac. Foto: Tiago Rodrigues/ FVP.

Esta última após tomar a vacina classificou o momento como de esperança. “Fico muito feliz em ser vacinada, é uma esperança que surge! Digo a todos que tomem, não tenham medo, há esperança”, disse Ana Paula.

O quarto imunizado com a primeira dose foi o doutor Itamar Ferreira, médico da regulação representante do Hospital Público Regional de Betim (HPRB). O quinto e o sexto, também médicos, são, consequentemente, o doutor João Vilar, médico da UPA Alterosas e também o doutor Adilson Barbosa, da UPA Guanabara.

Em seguida, foi a vez da enfermeira da UBS Nova Baden, Silvânia Pena, profissional na atenção à saúde primária. O oitavo foi Rodrigo Martins Dias, técnico de Enfermagem, representando o Samu.

Quase no final, Yara Dinis, 37, também Técnica de Enfermagem, além de representar o Conselho e Controle Social, recebeu a injeção no braço com o imunizante contra à Covid-19.

Yara Dinis, 37, também Técnica de Enfermagem, além de representar o Conselho e Controle Social, foi a penúltima a receber a injeção no braço com o imunizante contra à Covid-19. Foto: Tiago Rodrigues/ FVP.

Yara trabalha no pronto socorro do HPRB e revelou que é uma honra ser uma das primeiras a tomar a vacina. “Enquanto profissional, eu sinto que estou aqui representando todos os profissionais da saúde, estou muito feliz que a vacina chegou. É tempo de esperança. Perdemos muitos companheiros no combate (ao coronavírus) a essa vacina é uma vitória muito grande, Gostaria também de agradecer muito ao SUS Betim e ao Instituto Butantan”, disse.

Por último, foi a vez de Denise Marília, 42, receber a vacina. Representante dos agentes de higienização do Cecovid 2, ela é responsável pela limpeza do local. Segundo ela, a sensação de ser vacinada é gratificante. “Estou muito feliz por estar participando deste novo passo, pois era uma coisa esperada por todos nós. A vacina representa um novo começo, mas por enquanto devemos continuar usando as máscaras e continuar com todas as medidas de segurança”.

Denise Marília, 42, é representante dos agentes de higienização do Cecovid 2, sendo responsável pela limpeza do local. Ela foi a última dos dez imunizados no dia 19 de janeiro. Foto: Tiago Rodrigues/ FVP.

Logo após o décimo profissional ser vacinado, Medioli prestou depoimento aos presentes e esclareceu que Betim irá seguir as normas ditadas pelo Ministério da Saúde a respeito da campanha de vacinação.

“Iremos então vacinar primeiro os profissionais da linha de frente, aos quero homenagear pelo trabalho e por todo esforço, e que essa vacina vire uma página neste pesadelo e que possamos voltar a vida normal. Após a linha de frente, vêm os idosos abrigados em instituições direcionadas a eles, depois os índios, mas na cidade não há reserva indígenas ao que me consta, e por final outros profissionais da saúde, como da rede privada”.

O prefeito também aproveitou para agradecer aos vacinados como Eliete e Flávia. “Além de 25 anos de serviço público, ela (Eliete) foi uma das precursoras e uma grande responsável nas nossas campanhas de vacinação. Agradeço também à Flávia, que largou praticamente a vida privada e a família para se dedicar a essa missão. Obrigado a todos servidores!”, finalizou o prefeito.

Um dia depois, nessa quarta-feira (21), a administração municipal seguiu com o plano de vacinação. Desta vez com objetivo de imunizar os trabalhadores da saúde.

Segundo a prefeitura, nas duas unidades do Cecovid Betim, 100% dos profissionais serão imunizados até o dia 23. Já nas outras unidades da rede de saúde pública e da rede privada, 30% dos trabalhadores serão contemplados com as doses do primeiro lote.

O órgão municipal esclareceu que a imunização será de forma gradativa. Ou seja, conforme as doses forem chegando na cidade pela Secretária Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG).

Como já foi falado neste jornal, a vacina utilizada é a CoronaVac, desenvolvida pelo laboratório Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, que está sendo distribuída pelo Ministério da Saúde. Para a imunização serão necessárias duas doses em um intervalo de 2 a 4 semanas entre elas.

Em nota, a Prefeitura de Betim deixa claro que “as vacinas contra a Covid-19 ainda não estão disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde e pede à população que aguarde, respeitando a ordem dos grupos prioritários, e que não busque as UBSs para tomar a vacina. Será de extrema importância a compreensão e a colaboração da população para que a vacinação ocorra de forma tranquila e para que todos possam ser atendidos. Além disso, pedimos para que a população continue respeitando as medidas de proteção, como o uso de máscaras, higienização das mãos e o distanciamento social.”