Igarapé instala hospital de campanha para auxiliar no combate à Covid-19

0
1218
local irá funcionar somente durante o período de pandemia. Foto: Prefeitura de Igarapé;

Unidade conta com mais de 30 profissionais e 20 leitos funcionará 24 horas

Com a intenção de combater a pandemia provocada pela Covid-19, a Prefeitura de Igarapé entregou no último dia 22 de abril, o Centro de Enfrentamento e Combate ao Coronavírus (Cecovid – Igarapé). O local irá funcionar somente durante o período de pandemia.

Localizado no bairro Vale do Amanhecer, estrategicamente próximo à Unidade de Pronto Atendimento (UPA), o hospital de campanha de Igarapé conta com 20 leitos distribuídos em três espaços para atendimentos diferenciados, de acordo com a gravidade do quadro do paciente.

A ala vermelha, destinada à internação de pacientes em estado mais grave, dispõe de três leitos e três respiradores com monitores multi paramédicos, carrinho de emergência, desfibrilador e eletrocardiógrafo. A ala laranja, também com três leitos, foi estruturada para pacientes em estado grave, porém que não necessitam de respiradores.

Já a terceira ala, a verde, tem 14 leitos para atendimento às pessoas com sintomas gripais leves. Em todo hospital de campanha, haverá pouco mais de 30 profissionais, como médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, porteiros e auxiliares de higienização.

Durante a apresentação do centro de saúde, o prefeito Carlos Alberto da Silva, o Nem, destacou que a cidade está preparada para atender os moradores. “Esperamos que nenhum morador de Igarapé seja acometido pela Covid-19, mas se isso ocorrer, o município está preparado para atender a população da forma adequada recomendada pelas autoridades e órgãos sanitários”.

Pensando também na proteção dos profissionais da saúde, o hospital utiliza uma barreira de acrílico para ser utilizada durante procedimentos que exijam maior proximidade entre pacientes, equipe médica e de enfermagem, a exemplo do momento de intubação.

O Cecovid de Igarapé é uma unidade que funcionará 24 horas de “portas fechadas”, ou seja, os pacientes deverão ser encaminhados pela UPA.