Ir, vir e trabalhar com segurança

0
785

Aplicativo para o público feminino cadastra motoristas mulheres em Sarzedo, Betim, Mario Campos e outras cidades da Grande BH

Chega à região o aplicativo só para mulheres. Homem? Só se for acompanhante da passageira! O Lady Driver, que está no Brasil há 5 anos, já começou a cadastrar motoristas mulheres interessadas em prestar o serviço em algumas cidades mineiras. “Um dos diferenciais do app é a segurança, tanto da passageira, quanto da motorista”, diz a empresária Stephania Sousa, uma das sócias da franquia na Grande BH. “Reduz o risco de uma mulher sofrer qualquer tipo de assédio, violência”, acrescenta a publicitária Ariana Lima e também sócia.

Elas apontam mais um diferencial no Lady Driver: um agendamento de corridas especial, que não há nos outros aplicativos. A cliente pode programar com antecedência suas viagens por semanas e meses, além de escolher data, horário e a sua motorista favorita.

“O agendamento dá a cliente a possibilidade de programar melhor sua semana porque será possível deixar registrado na Lady Driver quando ela precisará do serviço para trabalhar, levar os filhos na escola, ir ao cabeleireiro ou se divertir, e ainda escolher a motorista de sua preferência”, explica Ariana. Caso a motorista escolhida não esteja disponível, será destacada pela Lady Driver outra profissional com as características desejadas pela cliente, como pontuação, carro, etc.

Cadastramento para as motoristas

Segundo as sócias, podem se cadastrar motoristas mulheres que tenham carteira de habilitação categoria B com EAR (Exerce Atividade Remunerada), celular Android, carro do ano 2011 ou superior, com 4 portas, 5 lugares e ar-condicionado.
Stephania informa que basta elas entrar no Google Play e baixar o aplicativo Lady Driver para fazer o cadastramento. Depois, a motorista receberá um acompanhamento e treinamentos periódicos pela equipe do Lady Driver.

“Nós garantimos 75% do valor da corrida para a motorista, que terá horário flexível, e com o serviço de agendamento, conseguirá planejar seu tempo”, diz. Ademais, um aspecto importante é que o valor da corrida – diferentemente de outros aplicativos que fazem o cálculo a partir do embarque – no Lady Driver o valor é calculado a partir do aceite da corrida pela motorista. “Dessa forma, as motoristas não perdem nem tempo, nem dinheiro no trajeto para buscar as passageiras. Elas estão sendo remuneradas o tempo todo,” afirma Ariana. São mais de 65 mil condutoras cadastradas pela Lady Driver no Brasil.

“Com esta fonte de renda, elas têm independência financeira e ajudam a reduzir os índices de violência contra a mulher”, diz Stephania. A proposta do Lady Driver, de acordo com Ariana, é mostrar para a mulher que ela pode se locomover com segurança e proporcionar renda à motorista. Todas ganham.

O aplicativo ainda não está em funcionamento para as passageiras. “O momento agora é de cadastrarmos as motoristas. Tão logo tenhamos esse cadastro feito, iniciaremos o atendimento,” comentam as empresárias. Depois da consolidação do aplicativo para mulheres na Grande BH, a proposta das sócias é expandir o serviço, em uma segunda etapa, para o Lady Kiddos (transporte agendado de crianças) e o Lady Care (transporte agendado de idosos).

Jéssica Rose Novais, de 28 anos, trabalha há seis meses como motorista de aplicativo na capital mineira, já se cadastrou no Lady Driver e considera o app uma ótima ideia, principalmente, devido à questão da segurança. “A proposta do aplicativo Lady Driver para mim é uma ideia revolucionária. Estamos muito cansadas dos assédios. É muito interessante ter um aplicativo para mulheres pensado por mulheres. Estou ansiosa para começar a trabalhar no Lady Driver,” diz.

O Lady Driver foi criado por Gabryella Correa, hoje CEO da empresa, depois de sofrer assédio por um motorista de aplicativo de transporte. “Foi uma situação muito difícil, fiquei muito nervosa, e depois disso decidi criar um aplicativo, porque eu não queria que outras mulheres passassem pela mesma situação. Acabei usando a minha experiência negativa para uma ideia positiva, capaz de ajudar outras mulheres”, diz. O Lady driver foi o primeiro app legalizado em São Paulo para passageiras e motoristas mulheres.

Serviço

Veja o que é preciso para ser uma motorista do Lady Driver:
– Utilizar celular sistema operacional Android;
– Ter carteira de habilitação categoria B com EAR (Exerce Atividade Remunerada), carro do ano 2011 ou superior (4 portas, 5 lugares, ar-condicionado;
– Entrar no Google Play, baixar o aplicativo Lady Driver e fazer o cadastramento.
Área de abrangência do serviço: Belo Horizonte e as seguintes cidades da Região Metropolitana: Nova Lima, Confins, Lagoa Santa, Contagem, Betim, Mário Campos, Sarzedo e Sete Lagoas.