Novo contrato disponibiliza linhas telefônicas de celular para serviços essenciais em Igarapé

0
971
Segundo a prefeitura, esta iniciativa ocorre após a administração municipal realizar um novo contrato com a operadora TIM, desta vez com mais benefícios para a cidade. Foto: Divulgação/ Internet.

Medida limita o uso de forma estratégica apenas para o que for necessário na utilização desse meio de comunicação

Agora, as unidades de saúde, Defesa Civil e demais serviços prestados pela Prefeitura de Igarapé à população disponibiliza atendimento telefônico, a fim de agilizar o contato.

Segundo a prefeitura, esta iniciativa ocorre após a administração municipal realizar um novo contrato com a operadora TIM, desta vez com mais benefícios para a cidade. Além do mais, a medida limita o uso de forma estratégica apenas para o que for realmente necessário na utilização desse meio de comunicação.

De acordo com o prefeito Arnaldo Chaves (PP), a decisão pela implementação do novo canal de comunicação ocorreu junto a equipe de governo, que decidiram que o mais importante é que os serviços essenciais passem a ter os celulares corporativos para facilitar e melhorar a comunicação e execução desses setores. “A antiga gestão tinha um contrato parecido, que foi encerrado no último dia de 2020, deixando alguns setores essenciais sem meios de se comunicar. Nosso compromisso é dar qualidade ao atendimento à população de Igarapé”, afirmou Arnaldo.

O líder do executivo municipal relata ainda que as novas linhas móveis, principalmente para as escolas, ajudarão na realização de atividades e contato com a comunidade escolar durante este período de pandemia, em que as aulas presenciais estão suspensas.

Acordo

A administração municipal informou ao jornal que o contrato com a operadora telefônica prevê a disponibilização de, no máximo, 140 linhas, mas nem todas serão utilizadas por uma questão de controle e economia dos gastos públicos.

“Os aparelhos celulares necessários serão cedidos por comodato (empréstimo gratuito). O uso individual de cada linha é limitado a um valor mensal de R$ 22,60, o menor do mercado, segundo o registro de preço oficial. A prefeitura somente pagará o custo das linhas que forem autorizadas a funcionar”, esclareceu a administração, em nota.