Onda Roxa é prorrogada até 11 de abril na maioria das cidades de MG

0
820
Região comercial na parte central de Betim com lojas fechadas desde o início da Onda Roxa. Foto: PMB.

Anteriormente, a fase mais restrita do Minas Consciente estava programada para terminar no próximo domingo (4)

O Comitê Extraordinário Covid-19, grupo que avalia semanalmente a evolução da pandemia em Minas Gerais, informou a prorrogação da Onda Roxa do Minas Consciente em 815, das 853 cidades do estado, até 11 de abril. Entre elas, estão Betim, São Joaquim de Bicas e Igarapé. Anteriormente, estava previsto para que no dia 4 essa fase mais restritiva chegasse ao fim.

A decisão foi tomada na última quarta-feira (31), e leva em consideração a taxa de óbitos e de ocupação de UTI que não sofreu queda nos últimos dias nessas localidades. Apenas 38 municípios presentes na macrorregião de saúde Triângulo do Norte e na microrregião Patos de Minas podem avançar para a fase vermelha do programa de recuperação econômica depois do próximo domingo (4).

O governador Romeu Zema (Novo) elucidou que o momento ainda é difícil e pede cautela para preservar vidas. “Tivemos mais uma semana de recorde, tanto no Brasil quanto em Minas. Infelizmente, os números de óbitos e a taxa de ocupação de leitos estão subindo na maior parte das regiões. Seguimos com os esforços para ampliar leitos, apesar da falta de recursos, principalmente humanos, e, mais recentemente, de insumos. Contamos com o apoio da população para superarmos essa fase o quanto antes”, afirmou.

Na fase roxa comércios não essenciais, como academias e cultos religiosos, não podem funcionar até o fim do decreto. Bares e restaurantes também estão proibidos de venderem bebidas alcoólicas para consumo no local.

Os comércios essenciais que estão com permissão para funcionar incluem supermercado, sacolão e padaria. Bares e restaurantes somente com entrega delivery, sem opção de retirada no local.

Serviços da saúde, como farmácia, laboratórios e clínicas veterinárias, bancos, agências lotéricas, posto de gasolina, depósitos de construção, lavanderias e oficinas mecânicas e de auto peças estão entre os estabelecimentos, que também podem funcionar.

As novas regras para conter a proliferação do vírus também impõe restrição à circulação de pessoas entre 20h até às 5h, a volta de barreiras sanitárias, proibição de eventos públicos e privados e reuniões presenciais. Além de proibir também a circulação de pessoas sem máscaras e com sintomas de gripe.

Fiscalização em Betim

Dados do executivo municipal demonstram que desde 17 de março, até o último dia 30, cerca de 52 estabelecimentos foram visitados e receberam autos de notificação. A maioria por ausência de alvará de localização e funcionamento, além dos descumprimentos das normas contra Covid-19. Dessa forma, nenhum alvará foi suspenso, já que nenhum possuía o documento.

Além dos comércios, a fiscalização formada pela Vigilância em Saúde e pela Secretaria Adjunta de Segurança Pública, por meio da Guarda Municipal e de agentes de Fiscalização e Postura também interrompeu uma festa no bairro Taquaril e outra no PTB.

Junto a isso, intervenções também ocorreram nos últimos fins de semana no controle do acesso de pessoas à represa Vargem das Flores. Em algumas ações, a Polícia Militar de Minas Gerais também está auxiliando nas abordagens.