Corporação identificou crimes de falsidade ideológica e uso de documentos falsos

Sete funcionários da Vale e seis da empresa de consultoria Tüv Süd foram indiciados na noite desta quinta-feira (19) pela Polícia Federal, pelos crimes de falsidade ideológica e uso de documentos falsos. As duas companhias também vão responder por estes crimes.

De acordo com o inquérito da PF, as empresas omitiram ou mentiram sobre informações a órgãos públicos em pelo menos duas ocasiões, sobre a real situação da barragem que rompeu no dia 25 de janeiro, na mina Córrego do Feijão, em Brumadinho. A tragédia provocou 270 mortes, além de danos ambientais, principalmente no rio Paraopeba.

Segundo as investigações, o crime de falsidade ideológica se deu após as empresas criaram um padrão inexistente por não conseguirem atingir o fator mínimo de segurança, exigido nos moldes internacionais. Assim, as atividades da mina continuaram, onde trabalhavam mais de 300 pessoas, mesmo com um cenário de risco acima do tolerado. Sem a Declaração de Condição de Estabilidade (DCE), as atividades do complexo teriam de ser paralisadas.

Já os documentos falsos foram identificados pela PF quando em junho e em setembro do ano passado, as DCEs com informações falseadas, foram entregues a órgãos de fiscalização, como a Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam) e o antigo Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), atual Agência Nacional de Mineração (ANM). Os indiciados podem pegar até 15 anos de prisão.

O relatório ainda solicita medida cautelar contra os indiciados, proibindo os 13 funcionários de prestarem consultorias ou novos trabalhos nessa área. Quanto aos crimes de homicídio e de caráter ambiental, estes estarão em um segundo inquérito previsto para ser concluído até o fim do ano. O documento foi encaminhado para Ministério Público Federal (MPF).

Veja quem são os indiciados:

Vale

  • Alexandre Campanha – Gerente-executivo de Governança de Geotecnia Corporativa;
  • Marilene Lopes – gerente de Gestão de Estruturas Geotécnicas;
  • Felipe Rocha – engenheiro ligado à Gestão de Riscos Geotécnicos;
  • Washington Pirete – engenheiro;
  • César Grandchamp – geólogo;
  • Cristina Malheiros – engenheira;
  • Andréa Dornas – engenheira.

Tüv Süd

  • Chris-Peter Meier – Diretor de Desenvolvimento de Negócios e gerente de Negócios de Infraestrutura da Tüv Süd, na Alemanha;
  • Makoto Namba – coordenador de projetos;
  • André Yassuda – consultor de geotecnia;
  • Arsênio Negro Jr. – consultor e dirigente da empresa;
  • Marlísio Cecílio – engenheiro geotécnico sênior;
  • Ana Paula Ruiz Toledo – engenheira geotécnica sênior.