Programa Sementes do Bem vira objeto de estudo de mestrado na Alemanha

0
1562
Estudantes estiveram na prefeitura para conhecer mais sobre o projeto. Foto: Edson Dutra.

Iniciativa será mapeada por estudantes de seis nacionalidades com objetivo de incrementar seus resultados finais

O projeto de Escola Sustentável, integrante do programa Sementes do Bem, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semmad) de Betim, será tema do Mestrado em Gestão de Energia, na Universidade Koln, na Alemanha.

Representantes do Iclei – Governos Locais pela Sustentabilidade – South América, organismo internacional que reúne mais de 1.500 cidades em 100 países, estiveram, no dia 10 de maio, na prefeitura de Betim para conhecer de perto o projeto. Ele já foi implantado em duas escolas municipais, envolvendo estudantes, professores e a comunidade local na adoção e aplicação de medidas sustentáveis no seu cotidiano e fomento da responsabilidade ambiental.

Participam do estudo seis mestrandos da Alemanha, Hungria, Indonésia, Camarões, Bolívia e Argentina, que vão mapear, até agosto deste ano, as ações já desenvolvidas e apresentar propostas para maximizar os resultados. A Escola Municipal Aristides José da Silva, no bairro Jardim Teresópolis, é a escolhida para ser o principal objeto do estudo, por ser a primeira instituição a receber, em 2018, o título de Escola Sustentável, pelo programa Sementes do Bem.

A instituição é hoje referência para as demais instituições municipais por incluir, no seu dia a dia, práticas sustentáveis, como a coleta seletiva; adoção de medidas de eficiência energética; captação de águas de chuva para uso interno; implantação de área para aprendizado e para a prática de compostagem; formação de um pomar, galinheiro e uma horta; e a fabricação de sabão com reaproveitamento de óleo de cozinha.

“Com o lançamento da primeira escola sustentável já percebemos os reflexos positivos nas ações de sustentabilidade. As coletas seletivas são as que mais se destacaram. As crianças desenvolvem atividades como gincanas e tudo o que é arrecadado é vendido e volta como renda para a escola e até para as famílias de catadores”, comentou o secretário municipal de Meio Ambiente, Ednard Tolomeu.

Escola Sustentável

O projeto Escola Sustentável faz parte do Programa Sementes do Bem e nasceu do interesse em valorizar as iniciativas e os esforços das unidades escolares, que promovem ações que resultem em benefícios à natureza. De acordo com Ednard, o título de Escola Sustentável é de extrema importância para promover o envolvimento da comunidade com as políticas públicas ambientais.

“Incentivamos a divulgação dessas ações pelos canais de comunicação da prefeitura e por meio da imprensa. Premiamos aqueles que fomentam a educação ambiental na nossa cidade. As realizações desses eventos colocam o betinense como personagem ativo na formulação das políticas públicas ambientais”, comenta. A Escola Municipal Maria Rita da Silva (Tia Ritinha) é a segunda agraciada com o título.

Segundo os educadores ambientais, as escolas podem transformar os alunos em agentes multiplicadores da comunidade em que estão inseridos. “O Sementes do Bem é um programa com três eixos: ensino Infantil, fundamental e a mobilização socioambiental. Ele foi lançado com o objetivo de cumprir as estratégias de um planejamento de educação ambiental, cuja meta é criar o hábito sustentável em todas as faixas etárias e gerar resultados em curto, médio e longo prazo”, afirma Ednard.

O Iclei

O Iclei – Governos Locais pela Sustentabilidade é uma rede global de mais de 1.750 governos locais e regionais comprometida com o desenvolvimento urbano sustentável. Ativos em mais de 100 países, influenciam as políticas de sustentabilidade e impulsionam a ação local para o desenvolvimento de baixo carbono, baseado na natureza, equitativo, resiliente e circular.

A equipe de especialistas ambientais trabalha para oferecer acesso ao conhecimento, a parcerias e capacitações capazes de gerar mudanças sistêmicas em prol da sustentabilidade urbana.

O Iclei foi fundado, em 1990, por 200 governos locais de 43 países. O Iclei América do Sul conecta mais de 70 governos associados em oito países a esse movimento global. Em 2018, para continuar construindo fortes relações de apoio com seus associados, o organismo abriu dois escritórios de Coordenação Nacional, na Colômbia e na Argentina respetivamente. O escritório na Colômbia é sediado pela Área Metropolitana do Valle de Aburrá (AMVA); e na Argentina, é sediado pelo Governo da Cidade de Santa Fé.

Ao longo destes anos, o Iclei América do Sul destacou-se no desenvolvimento e execução de projetos nas temáticas de: Clima e Desenvolvimento de Baixo Carbono, Resiliência, Resíduos Sólidos, Compras Públicas Sustentáveis, Biodiversidade Urbana, dentre outros.