Talude de represa particular que transbordou em Betim é estabilizado

0
910
Participam do monitoramento engenheiros, geólogos, biólogos, bombeiros, guardas municipais e policiais militares com medições e registros aéreos por meio de drone. Foto: PMB/ Divulgação.

Lagoa no bairro Duque de Caxias cedeu após receber grande carga de chuvas no últimos dias

Os trabalhos de manutenção emergencial na represa localizada na Fazenda Monjolo – área particular no bairro Duque de Caxias, em Betim, seguem em fase de finalização, segundo informou a Defesa Civil Municipal.

Devido à grande quantidade de chuvas no último mês, após apresentar trincas, em 16 de fevereiro, uma parte do talude da estrutura cedeu, um dia depois, provocando o transbordamento de água, levando preocupação aos moradores da região. Principalmente as casas localizadas na avenida Adutora Várzea das Flores, paralela à represa. Além da interrupção no abastecimento de água.

De acordo com o órgão, como estava previsto, um canal de alívio já foi construído e por meio dele foi possível atingir o banco de areia no fundo do córrego da Estiva, responsável pela origem do barramento, o qual já foi estabilizado com pedras.

“Esse barramento, na verdade, já existia como um aterro sobre uma manilha para possibilitar o acesso das pessoas através de uma via, de uma rua normal à represa. Nós já fizemos a contenção do talude através da compactação de lançamento de pedras na base, nos esvaziamos (a represa) até chegar no nível de areia do fundo do córrego Estiva, a água não se encontra mais no barramento, agora se encontra no leito deste córrego,” explicou o superintendente de Defesa Civil, tenente-coronel Walfrido
Lopes de Assis.

Como ação de segurança na região, após o extravasamento, a prefeitura convidou 71 pessoas residentes do local a se retirarem de suas casas. Assim, 55 foram conduzidas para casas de familiares e 16 foram para abrigos da prefeitura. Com o barramento em nível de segurança, essas famílias já foram autorizadas a retornarem aos imóveis.

“Todas as famílias já estão com permissão a retornaram para as casas, exceto uma, porque a estrutura da residência dela estava comprometida, mas não em virtude do acidente, já estava assim anteriormente. Agora, essa família de quatro membros está recebendo aluguel social da prefeitura”, disse o coronel.

Ainda de acordo com a Defesa Civil, mesmo com o número elevado de chuvas, de agora em diante, a represa particular o Duque de Caxias não apresentará mais nenhum indício de perigo, já que o canal foi construído de tal forma que é capaz de fluir todos volume de água que entrar na represa.

Os trabalhos de emergência de contenção na represa e de proteção à integridade física foram uma ação conjunta entre o Corpo de Bombeiros, a Ecos Betim, a Guarda Municipal, as polícias militar e ambiental, o Igam e a MEA. O próximo passo, como destacou o órgão civil, é apresentar um projeto para a recuperação da via Adutora Várzea das Flores. Nos próximos dias, obras de finalização e aperfeiçoamento devem continuar.

Abastecimento de água

Devido ao extravasamento e também às obras posteriores para a manutenção da represa da Fazenda Monjolo, diversas casas de bairros na regional Alterosa tiveram o fornecimento de água afetado.

Em nota, a Copasa esclarece que o serviço já foi estabilizado. “O trabalho ininterrupto conseguiu possibilitar o abastecimento regular da região. No último dia 24, técnicos da Copasa conferiram a pressão dos hidrômetros e da saída da água em bairros como o Duque de Caxias, um dos mais afetados pelo rompimento da estrutura particular. Mesmo após o restabelecimento do abastecimento de água, a Companhia continuará com equipes no local até a conclusão das obras de engenharia, devido à complexidade da intervenção feita próximo ao acidente”.