Unidade prisional de São Joaquim de Bicas aposta em sustentabilidade com sistema de captação de água da chuva

0
462
Sejusp / Reprodução

Projeto que evita o desperdício de água potável e traz economia aos cofres públicos deve ser replicado no Estado

A Penitenciária de São Joaquim de Bicas I – Professor Jason Soares Albergaria, está implementando um projeto para captação de água da chuva. A proposta pretende diminuir o uso de água potável para atividades que não necessitam de água tratada, além de reduzir gastos para o Estado. A iniciativa deve ser replicada em outras unidades pelo Departamento Penitenciário de Minas Gerais (Depen).

As obras do projeto iniciaram em dezembro de 2021 e tem previsão de conclusão para março deste ano. O sistema de captação de água da chuva a ser implantado tem capacidade para armazenar 80 mil litros. Com isso, o Depen pretende reduzir em 20% o custo mensal com consumo de água na unidade, além da questão de preservação dos recursos naturais.

Utilização da água

Fernando Lima, diretor administrativo da unidade, diz que a água proveniente do sistema será usada na rotina da penitenciária. “A água dos reservatórios será distribuída para os pavilhões e utilizada em diversas tarefas cotidianas”, ratifica o diretor.  A água armazenada será utilizada para irrigação de hortas e limpezas de pátios, pisos, corredores e outras atividades que não necessitam do uso de água tratada.

Ampliação da iniciativa

A Penitenciária de São Joaquim de Bicas I foi escolhida para ser o projeto piloto devido ao relevo do terreno da unidade, propício para o melhor aproveitamento de um sistema de captação deste tipo. Os níveis de chuva da região também são satisfatórios para um projeto como este.

O diretor-geral do Depen, Rodrigo Machado, considera a ação um ganho financeiro e social e pretende levar a proposta para outras unidades. “Estamos comprometidos e empenhados em viabilizar a expansão de sistemas sustentáveis nas unidades prisionais do estado”, disse Machado.

Ainda buscando por alternativas de diminuição de gastos e também do impacto ambiental, a Penitenciária de Francisco Sá, no Norte de Minas, abrigará um projeto de energia fotovoltaica — que transforma a radiação solar em energia elétrica. Em breve, as obras devem iniciar, pois já foi realizada a contratação da empresa prestadora do serviço.