Adolescente que teve a perna amputada deve receber alta na próxima semana

0
1558
Amilton e Regina Nascimento, pais de Gabriel: tristeza pela amputação, mas alívio pelo filho estar vivo. Foto: Sara Lira.

Gabriel Lucas foi atingido por uma linha chilena no último sábado. Os médicos tentaram recuperar o membro, mas diante da impossibilidade realizaram a amputação na manhã desta quarta-feira

Deve receber alta em aproximadamente cinco dias Gabriel Lucas Nascimento, de 15 anos, que teve a perna esquerda amputada na manhã desta quarta-feira (24), após ser atingido por uma linha chilena em Betim no último sábado (20). Em coletiva à imprensa nesta tarde, a equipe médica do Hospital Regional da cidade explicou que o procedimento ocorreu sem complicações e que o adolescente se encontra estável.

De acordo com o cirurgião cardiovascular, Fernando de Assis Figueiredo Junior, responsável pela cirurgia, a operação durou cerca de 1h30. “A amputação foi acima do joelho. Tentamos conservar o máximo da musculatura para que ele possa receber a prótese e tocar sua vida”, disse. Segundo ele, por ser jovem, a reabilitação e a adaptação do paciente serão mais rápidas. “Creio que dentro de alguns meses ele voltará a andar”, completou.

Na ordem: Victor Leite Ikeda; diretor técnico do Hospital Regional de Betim; Patrícia Evangelista, diretora geral do hospital; e Fernando de Assis Figueiredo Junior, cirurgião cardiovascular e responsável pela cirurgia. Foto: Sara Lira.

Segundo o médico, a notícia foi dada ainda nesta manhã e, de início, ele chorou bastante, dizendo que não poderia jogar futebol novamente, já que o sonho de Gabriel é ser jogador profissional. “Mas logo depois ele se acalmou e ficou tranquilo em relação a cirurgia. No futuro ele poderá jogar novamente com a prótese. Eu ainda disse que ele ainda me chamaria para vê-lo em campo”, afirmou.

A prótese que o jovem vai precisar não é fornecida pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e, segundo os médicos, o equipamento é caro. Por isso a família ainda vai analisar como irá proceder para conseguir adquirir o objeto.

O acidente

Gabriel está internado desde sábado, dia do acidente, no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do Hospital Regional. Ele esperava na calçada para atravessar a avenida José Inácio Filho, no bairro Nossa Senhora das Graças, próximo à Igreja Batista da Lagoinha. A linha cortante, que estava solta na rua, agarrou no escapamento de uma van e atingiu o garoto na altura dos joelhos. Segundo testemunhas, o motorista não teria visto e seguiu viagem. Conforme a PM, não se sabe de quem é a pipa presa à linha.

Gabriel Lucas, de 15 anos, foi atingido quando voltava do treino de futebol. Foto: Arquivo pessoal/ Divulgação.

Ele teve lesões graves, principalmente na perna esquerda, pois o corte atingiu ligamentos, tendões, artérias e veias. Ele perdeu muito sangue e deu entrada no hospital em estado grave, correndo risco de morte. O adolescente chegou a passar por duas cirurgias no fim de semana, na tentativa de recuperar o membro atingido, mas infelizmente não foi possível.

De acordo com a mãe do garoto, Regina Nascimento, a família sabia da possibilidade de amputação desde o dia do acidente. “No momento que confirmaram que teriam que amputar a perna dele não foi fácil, mas temos fé e confiança que tudo vai dar certo. Foi a melhor decisão no momento para poupar a vida dele. E ele ainda poderá ser um atleta”, disse.

Regina fez um apelo a quem ainda insiste em soltar pipa usando linhas cortantes, seja a chilena ou com cerol. “O Gabriel estava caminhando em uma avenida de muito movimento, onde tem uma pista de caminhada e passam muitas crianças, jovens e adultos. Aconteceu com ele, mas poderia ter acontecido com qualquer pessoa. Essas linhas não podem ser usadas em hipótese alguma”, lamentou.