Betim aumenta número leitos de UTI e vacina idosos a partir de 68 anos

0
1350
Idosos que estão na faixa etária de faxinação devem procurar o UBS de referência, com o documento de identidade e comprovante de endereço. Foto: PMB/ Divulgação.

Até o final deste mês, município pretende dobrar a capacidade de atendimento intensivo no Cecovid 4

A oferta de leitos de tratamento intensivo (UTI) foi ampliada em Betim e a cidade passa a disponibilizar mais 78 estruturas exclusivas para pacientes da Covid-19. Ao todo, serão 160 leitos para atendimento intensivo de casos mais graves no Cecovid 4, localizado no Centro Materno, e 80 no Cecovid 2, hospital de campanha instalado no clube da Fiat.

Atualmente, Betim conta com 90 leitos clínicos no Cecovid 2 e 90 de UTI no Cecovid 4. A expectativa é que, a partir de 5 de abril, todas as novas instalações estejam à disposição da população.

A prefeitura esclareceu que a ampliação dos leitos já estava encaminhada, porém, com a entrega de 20 respiradores pulmonares ao município pelo governo de MG, em 22 de março, mais a compra de outros equipamentos, a contratação de profissionais da saúde será estendida para que seja concluída, o mais rápido possível, a disponibilidade de mais leitos.

O secretário adjunto de Saúde, Augusto Viana, enfatizou que a capacidade de atendimento de UTIs para tratamento da Covid-19 poderá ser dobrada, se aproximando do total do Cecovid 4, que é de 170 leitos. “Com muito empenho, em abril, vamos ter 160 leitos de UTI para atender a população de Betim e de 12 municípios da microrregião de saúde, um total de cerca de 800 mil pessoas”, afirmou.

Dados da administração municipal indicam que até o fim de fevereiro de 2021, o pico da pandemia ocorreu em agosto de 2020. Na ocasião, Betim somou 4.480 casos confirmados e 156 mortes por Covid-19. Naquele momento, o município possuía 100 leitos de UTI e 70 clínicos.

De acordo com a Secretaria de Saúde Municipal, a tarde desta quarta-feira (1º), o município registrava 20.627 casos de Covid-19. A respeito deste total, 19.112 pessoas já se recuperaram e 796 seguem em acompanhamento. A cidade fecha o mês de março com a marca de 645 vítimas fatais do novo coronavírus.

Imunização contra o coronavírus

Nesta semana, o prefeito Vittorio Medioli (PSD) anunciou nas redes sociais o cronograma da campanha de vacinação contra a Covid-19. De acordo com o informativo, desde a última terça-feira (30), idosos com idade entre 72 e 68 anos já estão sendo imunizados. Essa etapa da campanha vai até 3 de abril, nas 36 Unidades Básicas de Saúde (UBS), das 7h às 18h.

Os idosos que podem ser vacinados devem procurar o UBS de referência, com o documento de identidade e comprovante de endereço. Em caso da pessoa estar em situação de cama ou com restrições de saída, a família deve agendar a vacinação a domicílio por telefone.

Nesta nova fase, o município pretende imunizar cerca de 10.909 pessoas dentro da faixa etária de vacinação (72 a 68), após ter recebido uma nova remessa com 12.170 doses de vacinas. A prefeitura esclarece que o novo carregamento também será utilizado para continuar a imunização dos trabalhadores da saúde do município. Para conferir o cronograma completo da vacina, acesse as redes sociais da Prefeitura de Betim ou o site: www.betim.mg.gov.br.

Vacinas barradas

Após Betim anunciar a compra 1 milhão e 200 mil doses de Sputnik, declarações de integrantes do Ministério da Saúde, sugeriram que as vacinas adquiridas pelos municípios e estados podem ser recondicionadas ao Plano Nacional de Imunização (PNI), para serem distribuídas por todo Brasil.

No último dia 15, o até então ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, declarou que os estados e municípios tem sim permissão para comprar a vacina, mas que o produto da compra deve ir para o PNI, para ser distribuído por todo país. “Não haverá estados vacinando e outros não”, disse Pazuello.

Para o procurador-geral do município, Bruno Cypriano, a entrega dos imunizantes não faz sentido, e a cidade contará, se for preciso, com o Supremo para garantir aquisição do medicamento. “Estamos utilizando recursos próprios para adquirir as vacinas, por isso não faz sentido algum entregar essas doses ao governo federal para redistribuição. Vamos questionar na Justiça essa declaração do Ministério da Saúde”, explica Cypriano.

Ainda segundo fontes, Medioli segue em negociação para adquirir as centenas de vacinas Sputnik, com previsão de chegada até o fim de abril.