Saneamento básico é debatido na Câmara Municipal de Igarapé

0
837
Na sessão estavam presentes alguns moradores, vereadores, empresários da região e funcionários da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa). Foto: Tiago Rodrigues.

Obras de rede de esgoto – implantação e tratamento, limpeza de fossa e poluição de córregos na cidade foram temas abordados durante a sessão

No início de março, a Câmara Municipal de Igarapé presidiu uma reunião, por intermédio da vereadora Nilce Flor de Maio (Solidariedade), com o tema “O Saneamento Básico do Município de Igarapé e atuação da Copasa”. Na sessão estavam presentes alguns moradores, vereadores, empresários da região e funcionários da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa).

Durante o encontro, questões sobre a rede de esgoto – implantação e tratamento, limpeza de fossa e poluição de córregos na cidade foram registradas perante aos representantes da Copasa. Atualmente, a cidade possui um sistema de rede esgoto incapaz de atender todos os bairros do município.

Além disso, moradores contam apenas com dois caminhões limpa fossa para efetuar a manutenção dos dejetos. Reclamações de fossas transbordando pelas ruas e esgoto sendo despejados em áreas de preservação foram pontuadas. A moradora do bairro Progresso, Ivanilde Leles, questionou os funcionários da Copasa a fim de esclarecer “quando que o esgoto vai ficar pronto, quando o saneamento básico da cidade vai ficar pronto?”.

Segundo o representante da Copasa em Minas Gerais, Joaquim Braga, a empresa conseguiu um financiamento do banco alemão KFW, e está executando projetos para resolver os problemas tanto de Igarapé, como São Joaquim de Bicas.

O gestor do financiamento, Ronaldo Matias, explica como anda os procedimentos. “Nossa intenção é fazer isso mais rápido possível, já temos a verba disponível. Porém as dificuldades que são encontradas, como reintegração de terra para dar andamento às obras, perante ao judiciário, demanda tempo. Todo o processo estava previsto para terminar em dezembro de 2020, agora aguardamos que a licitação saía neste ano para que possamos começar as obras logo,” disse o gestor.

A vereadora Nilce também se manifestou diante das declarações prestadas. “Esta não é a primeira vez que estamos reunindo com a Copasa, já foram mais de 10 reuniões. No final de 2019, nos encontramos com a empresa no bairro Pousada, e a companhia ficou de dar uma resposta, porém não ficamos satisfeitos. As fossas no Pousada e no Fernão Dias já estão escorrendo pela rua, então o pessoal está revoltado por isso. A Copasa fala que não pode cair nada no córrego, já que a consequência é ir direto para represa da companhia, só que o que está correndo pelas ruas ‘tá’ indo pra onde?”.

Diante disso, o vereador Caio Magno (PSDC) se pronunciou. “Temos casas derramando esgoto pela privada com disse o cidadão aqui presente. A Copasa assumiu o compromisso de esvaziar as fossas, já que não conseguiu executar as obras de esgoto. Só me resta uma saída, levar um pedido ao Ministério Público (MP) para que um promotor determine que a Prefeitura de Igarapé fique com parte da verba adquirida pela Copasa, para que a própria prefeitura faça as obras”, finalizou.