Com regras mais rígidas, Igarapé tenta conter o avanço da Covid-19

0
672
Está proibido o acesso de qualquer pessoa na Pedra Grande, seja para quaisquer atividades, destacando-se as práticas esportivas, turísticas e religiosas. Foto: Tiago Rodrigues/FVP.

Desde de janeiro, 15 blitzes sanitárias foram efetuadas com o objetivo de monitorar a entrada e saída de pessoas que transitam pela cidade

Um ano depois do primeiro caso de Covid-19 no país, as cidades brasileiras estão em uma situação mais lamentável do que em 2020. Isso porque nos últimos meses os casos confirmados de Covid-19 e mortes provocadas pela doença aumentaram de maneira alarmante, deixando muitos municípios sem condições de cuidar dos pacientes devido à escassez de leitos, respiradores e também de mão-de-obra hábil para reforçar o atendimento nos centros de saúde.

Diante deste cenário, a cidade de Igarapé anunciou que ampliou a campanha de conscientização a respeito das regras de segurança sanitária e de saúde contra o novo coronavírus.

Medidas como uso obrigatório de máscara, fiscalização em transporte público, comércios e festas clandestinas para evitar aglomerações foram intensificadas pela prefeitura a fim de educar os igarapeenses sobre as regras para conter o vírus. Somente nas últimas duas semanas, 14 pessoas morreram na cidade em razão de Covid-19.

Mesmo inserida na fase Roxa do Minas Consciente, na qual as restrições impedem o funcionamento de comércios não essenciais, Igarapé emitiu o Decreto de número 2.509/21, em 18 de março, com medidas ainda mais firmes.

De acordo com o texto, aos fins de semana só podem funcionar no município os postos de gasolina, farmácia – apenas com balcão de atendimento na porta, serviços de saúde e veterinários de emergências, serviços de atendimento e atuação em emergências ambientais, transporte e entrega de carga, transporte coletivo, táxi e carros de aplicativo. Essa decisão foi prorrogada até o dia 4 de abril, após uma reunião do Comitê Municipal de Enfrentamento à Covid-19 na última segunda-feira (29).

A prefeitura ressalta que para reforçar a fiscalização contratou mais 14 agentes e que, desde o início da Onda Roxa, em 17 de março, a até o último dia 30, um total de 32 autuações e quatro interdições de estabelecimentos foram aplicadas pela fiscalização municipal que, em alguns casos, conta com o apoio da Polícia Militar. Além disso uma festa clandestina foi interrompida.

Turismo na Pedra Grande é proibido

Devido a popularidade do ponto turístico de Igarapé, o Conjunto Natural e Paisagístico da Pedra Grande, no perímetro rural da cidade, a prefeitura, por meio do Decreto Municipal de número 2.515/2021, estendeu ao local medidas restritivas para controlar a proliferação do novo coronavírus desde 25 de março.

Segundo a nova norma, está proibido, por tempo indeterminado, o acesso de qualquer pessoa ao lugar, seja para quaisquer atividades, destacando-se as práticas esportivas, turísticas e religiosas, que normalmente atraem os visitantes.

A entrada somente está liberada para representantes dos órgãos de segurança e de fiscalização, que atuarão no local para garantir o cumprimento das medidas definidas pelo decreto municipal.

Contra a Covid-19

Desde de janeiro de 2021, 15 blitzes sanitárias foram efetuadas com o objetivo de monitorar a entrada e saída de pessoas que transitam pela cidade. Somente num fim de semana, aproximadamente 4.600 sitiantes estiveram em Igarapé.

Também, durante a noite, um caminhão pipa percorre as ruas de Igarapé lançando uma solução hipoclorito de sódio a 1%, composto químico usado como desinfetante, para combater o vírus que provoca a doença Covid-19.

Em meio a essa grave situação, o prefeito Arnaldo Chaves (PP) destacou um avanço nos últimos dias, já que, segundo o executivo municipal, após a adoção das medidas, que incluem o lockdown também nos dois últimos finais de semana, o município registrou uma redução de 21% nos casos notificados no período da Onda Roxa.

“É ainda um pequeno avanço, mas é um sinal de que estamos no caminho certo para conter a disseminação do vírus entre a nossa população”, afirmou Arnaldo.