Ueslei Henrique, morador de Igarapé, vence programa culinário da GNT

0
1126
O jovem confeiteiro é formado em direito, mas trabalhava num banco quando decidiu seguir a carreira profissional de confeiteiro há três anos. Foto: Adalberto de Melo. Foto: Adalberto de Melo.

Chefe confeiteiro da Rosa Gourmet Confeitaria participou do programa “Que Seja Doce”, no canal de TV a cabo

O chefe confeiteiro da Rosa Gourmet Confeitaria, de Igarapé, Ueslei Henrique, 35 anos, foi o campeão do segundo episódio da 6º temporada do programa “Que Seja Doce”, apresentado por Felipe Bronze, no canal a cabo GNT. O episódio foi ao ar no último dia 11 de março. Ao seu lado estava o irmão Uesterli Henrique, 33, escolhido como ajudante.

Na primeira etapa, as duplas apresentaram um prato como cartão de visita. “Eu fiz bombons pintados à mão com recheio de ganache de cumaru – semente da família da baunilha. O prato nos deu vitória e mais tempo para preparar a segunda receita, com o tema memória afetiva familiar. Então preparei um pavê de abacaxi, especialidade da minha mãe, com algumas alterações pessoais”, disse Ueslei.

Na segunda fase, o igarapeense alcançou o segundo lugar, dando direito à disputa da final. Porém essa posição retirou o direito da dupla de usar o utensílio bailarina – prato giratório – na etapa decisiva. Ueslei e Uesterli teve duas horas para fazer um bolo de aniversário na fase final.


Ueslei participou do programa ao lado do irmão, Uesterli Henrique, os dois são filhos de Rosinha Henrique, mestra culinária na cidade. Foto: Adalberto de Melo.

“Por fim, essa desvantagem veio a calhar, sou especializado em bolos de bicos, fiz um bolo de dois andares com efeito ombré – um degradê de cor,” esclarece. O bolo teve aprovação de dois jurados contra um, e consolidou o mineiro como vencedor.

Ueslei recebeu, além do troféu “Que Seja Doce”, uma batedeira como prêmio. “Essa vitória é a recompensa de toda dedicação diante de um trabalho bem feito. Ninguém sabe o quanto se abdica de um passeio e encontro com familiares ficando toda madrugada trabalhando para entregar uma encomenda. Além disso, apresentei Igarapé e a Rosa Gourmet Confeitaria para todo país”, conclui.

O jovem confeiteiro é formado em direito, mas trabalhava num banco quando decidiu seguir a carreira profissional de confeiteiro há três anos. Ele já havia tentado participar do programa três vezes, e nesta temporada foi selecionado. Atualmente ele também dá aulas de confeitaria.

Ele e o irmão são filhos de Rosinha Henriques – mestra da culinária de Igarapé, que contribui com o movimento de mestras que participam do Festival Igarapé SaborMestras de Igarapé. E netos de Maria do Beijo, que faz parte das primeiras mestras de Igarapé.